Inscrições encerradas: curso Auditor Interno ISO 39001

Em razão do Maio Amarelo, o Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) oferece para os gestores que atuam nos segmentos de transporte de cargas ou de passageiros, a oportunidade de conhecer em detalhes a ISO 39001. O objetivo é mobilizar e motivar  o setor de transporte comercial a adotar esta Norma Internacional, buscar a certificação e melhorar os índices de segurança viária.

O curso é completamente on-line e gratuito, realizado pela plataforma ZOOM e acontece de 10 a 13/05, sempre das 18h30 às 21h30.

Vamos juntos nessa? As inscrições são limitadas, então não perca tempo!

DETALHES DO CURSO

- O quê?: Curso de Formação de Auditor Interno da ISO 39001 (Segurança Viária), em formato on-line, por meio do ZOOM.
Este treinamento fornecerá aos participantes o entendimento dos requisitos normativos da norma ISO 39001 (Sistema de Gestão de Segurança Viária), detalhando o conhecimento sobre os conceitos, definições, requisitos, técnicas e práticas envolvidas no planejamento, controle operacional e monitoramento dos processos aplicáveis à gestão da segurança viária das empresas de transporte, sob o enfoque da busca pela segurança viária e performance operacional a partir de práticas associadas.

- A quem se destina?: Líderes e colaboradores(as) que atuem diretamente na gestão da segurança viária em empresas dos segmentos de transporte comercial de carga e/ou passageiros.

- Quando: de 10 a 13 de Maio de 2021

- Horário: das 18:30 às 21:30

- Quem ministrará o curso: Cleverson Forato 

  • Auditor Líder e Consultor nas normas ISO 39001, ISO 9001, ISO 14001, ISO 45001 e SASSMAQ.
  • Economista e Especialista em Estratégia Empresarial pela PUC-PR.
  • Consultor de Sistemas de Gestão com projetos certificados em empresas de diversos segmentos.
  • Consultor e Instrutor de Treinamentos para os padrões ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, FSC, ISO 22000, IATF 16949, ISO 39001, ISO 37001, ISO 19600, SASSMAQ, ISO 50001, Certificação de Produtos.
  • Consultor Especialista em Metodologia BPM (Gestão de Processos do Negócio).
  • Atuação como Conselheiro e Assessor em Projetos de Governança Corporativa.
  • Consultor Mentoring com foco em Estratégia e Reestruturação Empresarial, com mais de 30 processos de desenvolvimento de Diretores e Sucessores em empresas Nacionais e Multinacionais.
  • Docente em Cursos de Pós-Graduação para as disciplinas ligadas a sistemas de gestão normatizados em diversas instituições de ensino.

- Certificado: será fornecido somente aos participantes que tiverem 100% de participação.

- Necessário:  inscrição prévia, por meio do formulário abaixo.

ATENÇÃO:  O preenchimento do formulário não é garantia de inscrição. Sua inscrição e participação está garantida somente após o recebimento de e-mail de confirmação, que será enviado pela coordenação do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), após o término do prazo de inscrições.

Link para formulário de inscrição: https://forms.gle/mLjZZBfeNw6Er7V36

 

 


Curso de Formação de Auditor Interno ISO 39001

Se você é gestor(a) e atua nos segmentos de transporte de cargas ou de passageiros, já anota na agenda: entre os dias 10 e 13 de Maio, o Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), realizará este curso, completamente on-line e gratuito!

O objetivo é disseminar e contribuir com o entendimento dos requisitos normativos da Norma ISO 39001 (Sistema de Gestão de Segurança Viária), para que as empresas de transporte possam avançar na gestão e ações de segurança viária que permitam melhor performance operacional e claro, um trânsito mais seguro a tod@s.

Afinal, a gente acredita que o ZERO ACIDENTE fatal é uma realidade possível, desde que atuemos em REDE COLABORATIVA.
Vamos junt@s?!

Fique atent@! Logo abriremos as inscrições e elas são limitadas.

Acompanhe as informações no perfil do Programa Volvo de Segurança no Trânsito, no Instagram @volvoseguranca

 

 


Entrevista com Budel Transportes

Os acidentes de trânsito representam um dos maiores problemas de saúde pública mundial. Anualmente eles são responsáveis por 1,25 milhão de mortes no mundo, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), e este número nos traz um alerta: são vidas perdidas, na maioria das situações, decorrente de erro humano.
A ISO 39001, Norma Internacional de Segurança Viária, foi lançada em 2012 com o objetivo de reduzir estes números de mortes e acidentes graves no sistema viário mundial. Nosso papel, por meio do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST), é disseminar o conhecimento desta realidade e os benefícios que as empresas podem ter ao implementarem processos de gestão de segurança alinhados com a Norma. E quais são estes benefícios?

- Diminuição de acidentes de trânsito (lesões graves ou mortes);
- Fortalecimento da reputação da marca e da empresa no mercado;
- Reconhecimento de seus colaboradores;
- Redução de danos à frota;
- Gestão de riscos envolvendo os colaboradores e todos que interagem no trânsito;
- Possibilidade de redução de valores e prêmios, referentes aos seguros;
E muitos outros.

Hoje você vai conhecer a história da Budel Transportes, que recentemente foi certificada pela ISO 39001. A empresa reavaliou seus protocolos de segurança viária e fez ajustes necessários para atender às diretrizes globais da Norma. Confira o que a Elisângela Campos, gerente de qualidade e segurança da Budel Transportes, nos contou.
PVST: Qual foi a primeira ação colocada em prática quando vocês estabeleceram como meta alcançar a certificação da ISO 39001?
Budel: Nós já realizávamos vários controles e ações em relação à segurança viária antes mesmo da certificação da ISO 39001. Por exemplo o uso de câmeras, registros, treinamentos, perimetria, prática de DSS, entre outros. Ao definir esse objetivo, nós avaliamos todos os nossos processos, identificamos melhorias, fizemos ajustes necessários para que pudéssemos atender todos os requisitos estabelecidos pela Norma.

PVST: Quais foram as principais mudanças para diminuir o número de acidentes?
Budel: Mesmo antes da certificação, já tínhamos um controle robusto de planos de emergência, simulados frequentes e controle de mecânico para a prevenção de acidentes.

PVST: Qual mudança teve o resultado mais efetivo?
Budel: Com certeza foi colocar em ordem todos os processos, deixar tudo alinhado aos requisitos da ISO 39001.

PVST: Como ficaram sabendo sobre a ISO 39001?
Budel: Já almejávamos a certificação da ISO 39001, então fomos em um Workshop da Volvo/PVST, onde vimos que ainda poucas empresas de transporte tinham alcançado a certificação e pensamos “Por que não?”. Vimos a palestra e avaliamos o que precisávamos para adquirir a certificação e fomos em busca das melhorias que nos permitissem o resultado almejado.

PVST: Quando a Budel percebeu a importância de melhorar seus processos internos e traçar um plano de segurança viário?
Budel: Como já tínhamos vários planos robustos de segurança viária, nosso maior esforço foi mesmo focar na certificação. Era levar realmente o nome da Budel na certificação e foi isso que fizemos. Chamamos os auditores, trabalhamos para regularizar tudo que havia sido apontado como melhorias de processos e mantivemos os controles que já fazíamos.

PVST: Como foi a recepção e engajamento por parte dos seus funcionários a esse processo que tinha o objetivo de reforçar o bem estar e a segurança, inclusive deles?
Budel: Na empresa sempre tivemos uma cultura interna de segurança muito forte, então todos se dispuseram a participar e ajudar no processo de certificação, pois sabiam que seria um ponto positivo a mais para a empresa que trabalham.

PVST: E por fim, se fosse para recomendar que outras empresas sigam o exemplo da Budel, quais seriam suas palavras de incentivo nos primeiros passos?
Budel: Oriente as pessoas. Aqui na Budel trabalhamos diariamente no diálogo de segurança com os motoristas, pois acreditamos que é na conversa e na orientação que é possível ter segurança. O motorista precisa ter o lugar seguro para trabalhar, mas também é importante garantirmos que ele volte seguro para casa.

Elisangela Campos - Budel Transportes
Budel Transportes


App Eu Rodo Seguro

É uma ferramenta de gestão de risco de acidentes na palma da mão! O motorista recebe alertas
sonoros quando estiver se aproximando dos trechos de maior perigo nas rodovias federais brasileiras.
É um alerta para que o motorista dirija com mais cuidado e, dessa forma, contribua para evitar
acidentes e salvar vidas.

O App é uma evolução do Portal Atlas da Acidentalidade no Transporte, desenvolvido pelo Programa
Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para ajudar
na prevenção de acidentes e redução do número de mortos e feridos.

OUTRAS AÇÕES


Programa "Parar, Olhar, Acenar"

Mobilizado pelo desafio de zerar acidentes, o Grupo Volvo desenvolveu globalmente o programa “Parar, Olhar, Acenar”, composto por atividades práticas e educativas, especialmente desenvolvidas para conscientizar crianças entre 5 e 11 anos sobre a importância de adotar comportamentos seguros ao atravessar as ruas. 

A Volvo oferece gratuitamente o acesso a todos os materiais que integram o programa, que podem ser facilmente utilizados por pais, professores, agentes públicos e qualquer pessoa que se disponha a educar e sensibilizar as crianças para a adoção de comportamentos mais seguros no trânsito.

Acesse aqui os materiais que integram o programa “Parar, Olhar, Acenar”. 

OUTRAS AÇÕES


Recursos, coragem e comprometimento

Peter Kronberg, Diretor de Segurança do Grupo Volvo, autoridade mundial na área, teve papel  preponderante na agenda de temas e nas metas a serem revistas na Conferência Global sobre Segurança Viária que acontece em Estocolmo nesta semana.

 

Entrevista completa

A Suécia levou cinquenta anos para atingir o nível relativamente bom que possui hoje. Poderíamos alcançar o mesmo progresso no Brasil em algum momento se todos os novos investimentos fossem feitos com alta prioridade em segurança ”.

Peter Kronberg, Diretor de Segurança do Grupo Volvo

 

PVST News: Qual o principal foco da Conferência Global sobre Segurança Viária e qual a expectativa do Grupo Volvo sobre os resultados?

Peter KronbergA Conferência é, acima de tudo, um fórum para ministros dos transportes e formuladores de políticas. É a terceira vez que a comunidade internacional se reúne em torno da segurança viária num evento deste porte com envolvimento das mais altas lideranças de outros setores comprometidos com a segurança, como a academia e indústria.

O foco é aumentar a prioridade da segurança viária, delinear metas e um plano de ação recomendado para a próxima década. Portanto, esperamos novos objetivos e ações que, em breve, possam ser traduzidas em políticas nacionais,  investimentos em infraestrutura e tecnologia de veículos.

 

 PVST News: Sendo o Grupo Volvo tão engajado no tema segurança, qual será a sua participação?

Peter KronbergÉ um fórum muito importante para abrir um caminho claro para o problema global de segurança viária. Esta é fundamentalmente uma questão multissetorial e todas as partes interessadas devem entender e contribuir para este tema e possibilitar avanços concretos. 

Por isso, a Volvo terá uma ampla presença na conferência e nos muitos eventos paralelos oficiais que ocorrerão em Estocolmo nesta semana.

Mais notavelmente, teremos a  honra de encerrar a conferência com um discurso do nosso Presidente e CEO Martin Lundstedt, que  concentrará sua fala no papel do setor privado na próxima década.

Além disso, eu e vários colegas, também estaremos envolvidos em compartilhar nossas perspectivas sobre parcerias, pesquisa e direção automatizada. Mas, o que eu acho realmente emocionante, é que teremos cinco jovens embaixadores do Grupo Volvo, dois deles do Brasil, participando da Assembléia Mundial da Juventude no dia anterior à Conferência. Tenho certeza de que a assembléia de jovens transmitirá uma mensagem provocativa aos formuladores das políticas.

 

PVST News: Qual a maior contribuição do Grupo Volvo à meta de redução de acidentes e vítimas fatais estipulada pela ONU?

Peter Kronberg: O Grupo Volvo já estabeleceu a conexão fundamental entre um sistema de transporte eficiente e o crescimento e prosperidade sustentáveis ​​de nossas sociedades. Má segurança no trânsito é ainda uma enorme ameaça para isso.

Temos a visão de zero acidentes com veículos da marca Volvo. Ao garantir que trabalhamos para oferecer as melhores soluções de segurança, abordamos nossa principal função e responsabilidade. Mas também continuaremos colaborando ativamente com outras instituições, construindo parcerias e plataformas para garantir que também ocorram progressos em infraestrutura, educação, etc. Acho que é importante perceber que já temos muitas boas soluções, desde inteligentes  soluções de mobilidade segura, como o Bus Rapid Transit (BRT), a sistemas de segurança veicular muito eficazes, como a frenagem de emergência.

Então, é claro, nos esforçamos para liderar a transformação do sistema de transporte usando as novas tecnologias, como automação, eletromobilidade e conectividade. Essas tecnologias serão essenciais para o transporte sustentável.

 

 

PVST News: Na sua opinião, qual o maior desafio para reduzir o número de acidentes e fatalidades no trânsito?

Peter Kronberg: Há necessidade de mudanças transformadoras no sistema de transporte em mercados mais desenvolvidos, aproveitando os benefícios dos novos paradigmas tecnológicos, enquanto que nos países de baixa e média renda precisamos avançar em todas as áreas.

É  necessário elevar a prioridade em todas as partes deste sistema: das leis de trânsito relevantes, sinalização, projeto de vias, treinamento e veículos mais seguros, etc. Portanto, o maior desafio é provavelmente a enorme quantidade de recursos necessários - e a coragem dos políticos de se comprometerem a fazer os investimentos necessários. Claramente, porém, todos nós precisamos nos mobilizar em torno dessa causa e fazer nossas partes e contribuições individuais. Para o Grupo Volvo, isso significa cumprir nossa visão de segurança e continuar colaborando.

 

PVST News: Qual seria os principais desafios para  países emergentes como o Brasil?

Peter Kronberg: Sabemos muito bem o que precisa ser feito e o que constitui um sistema seguro. Mas o grande enigma é: qual é a melhor estratégia para implementar esse sistema. Que estratégia nos levará avançar rapidamente e com investimentos gerenciáveis. Porque recursos limitados são um dos principais obstáculos para qualquer país.

A Suécia levou cinquenta anos para atingir o nível relativamente bom que possui hoje. Poderíamos alcançar o mesmo progresso no Brasil em algum momento se todos os novos investimentos fossem feitos com alta prioridade em segurança. Mas, este não é o nível certo de ambição. Não podemos esperar tanto em pouco tempo no Brasil e em economias em crescimento semelhante. Precisamos de comprometimento de alto nível no Brasil e do uso das melhores práticas comprovadas em políticas, infraestrutura e tecnologia.  Destaco também a importância de elevar os requisitos básicos de segurança dos veículos para garantir que todos tenham acesso a opções seguras de viagem e ainda remover as frotas antigas das ruas. Muita coisa pode ser alcançada considerando-se como oferecer melhores condições de trabalho aos motoristas profissionais e elevando a cultura de segurança entre empresas e organizações.


O Brasil na Conferência: foco em parcerias e troca de experiências

O Brasil estará presente na Conferência Global de Segurança Viária  com representantes do Poder Executivo Federal, como também do Poder Legislativo, dos órgãos de trânsito estaduais e até mesmo de organismos não governamentais. 

Para o Secretário Nacional de Transportes Terrestres, Marcello da Costa, que estará presente no evento, a Conferência é de alta importância para o Brasil. “Vamos trazer conhecimento e trocar experiências num tema  que é prioritário em nossa agenda, inclusive através do Plano Nacional de Redução de Mortos e Lesões no Trânsito (PNATRANS)”, enfatiza.

Sobre a meta estabelecida para a Década da Segurança Viária (2011- 2020) o Secretário define como um objetivo bastante  arrojado para um país heterogêneo como o Brasil. “Temos aqui uma grande diversidade cultural, econômica, social, climática, entre outros aspectos, fazendo com que a realidade do trânsito em uma região não seja igual a realidade de outra”. E acrescenta: “A proposta das Nações Unidas se tornou um desafio para todos os países. E, ainda que a meta não tenha sido totalmente alcançada, houve uma evolução significativa com relação à promoção da segurança viária no mundo todo”. 

Ele ainda comenta que muito se avançou nos últimos anos com relação à segurança viária no país. “Notadamente, houve o aprimoramento da formação dos condutores, a conscientização da população com relação ao comportamento no trânsito, a disponibilização e uso de novos itens de segurança nos veículos, o avanço da fiscalização com resultados expressivos a partir da implantação da “lei seca”, entre outros fatores.  “Pelos dados de mortalidade apresentados pelo Ministério da Saúde, por meio do DATASUS, verifica-se uma tendência nos últimos anos de redução das fatalidades no trânsito, fruto do aprimoramento legislativo e da implantação dos diversos programas (a exemplo do Vida no Trânsito e do Rodovida) seja em âmbito Federal, como também nos Estados e Municípios. Cada ente federativo possui uma parcela importante na melhoria da segurança viária no país”, enfatiza.

Sobre o posicionamento do Brasil no atingimento da meta da ONU, ele  comenta: “ainda que, olhando de forma isolada e pontual, há municípios que conseguiram atingir a meta, infelizmente, em uma análise macro, ainda falta muito para atingir a meta de redução dos 50% de mortalidade decorrente de acidentes de trânsito. A redução nacional, entre 2011 e 2020, foi de cerca de 26%”, complementa.

No que diz respeito à pauta que o executivo federal leverá à conferência, ele esclarece que, “ temos interesse nas questões que envolvem a acidentalidade de motocicletas - em razão do crescimento nos últimos anos - e também na busca de parcerias com outros governos, no intuito de catalisar as ações de segurança de trânsito para que a taxa de mortalidade tenha um acentuado decréscimo nos próximos anos”.

Será apresentado à comunidade internacional as ações estabelecidas no PNATRANS  e o desejo de aprofundar no programa sueco “Zero Acidente”, além de acompanhar as discussões em volta da tecnologia e regulamentação da automatização dos veículos.


Segurança como prioridade

Maior evento de segurança no mundo deve reafirmar a importância da agenda 2030 assegurando metas e ações ambiciosas para reduzir vítimas fatais e feridos no trânsito.

 

Nesta semana, Estocolmo, a bela capital da Suécia, será o palco do maior evento de segurança viária do mundo.  Ministros, chefes de estado, delegações, autoridades, especialistas e formuladores de políticas -  além de representantes da indústria e da academia - terão voz uníssona na condução de uma agenda que tem o objetivo de aumentar a prioridade da segurança viária mundial e estabelecer um plano de ação para a próxima década.

 

Trata-se da terceira conferência com este propósito. A Primeira Conferência Ministerial Global aconteceu em Moscou em 2009 e a Segunda Conferência Global de Alto Nível ocorreu no Brasil, em Brasília, em 2015. Todas com o objetivo máximo de reafirmar o direito de todos os indivíduos à saúde e segurança como parte estratégica integrante dos ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, estabelecido pela Organização das Nações Unidas.

 

Ao final dos dois dias intensos de discussões, 19 e 20 de fevereiro, o que se busca é uma mobilização mundial para reafirmar o compromisso contínuo de manter a integridade da Agenda 2030, assegurando planos e ações ambiciosas e contínuas para reduzir ainda mais as mortes e feridos no trânsito, que atualmente matam 1,3 milhão de pessoas no mundo todo os anos. 

 

O Grupo Volvo, reconhecido mundialmente pela sua liderança em segurança, terá papel importante no evento. Seja pela influência e participação na elaboração da agenda mas, principalmente, pela contribuição através do desenvolvimento de novas tecnologias de segurança em automação, eletromobilidade e conectividade. E também pelo seu compromisso na meta desafiadora de zero acidentes envolvendo veículos da marca, estabelecido em 2012. 

 

No Brasil, acompanhamos todos os desenvolvimentos e trazemos as novas tecnologias, quase que simultaneamente, para as ruas e estradas brasileiras e também contribuimos, há mais de 30 anos, com a mobilização da sociedade para um trânsito mais seguro, por meio do Programa Volvo de Segurança no Trânsito.  Desde que chegou ao Brasil, há 40 anos, a empresa nunca aceitou as trágicas estatísticas que registram quase 40 mil mortes ao ano, sendo quase um terço, de jovens e adolescentes.

Nesta ocasião, dois jovens profissionais da Volvo do Brasil estarão representando as novas gerações na Assembleia Mundial da Juventude que antecede a  Conferência Mundial de Segurança Viária, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS). Eles terão privilégio e a tarefa de conhecer os novos cenários e práticas que podem para inspirar o Brasil. Por que não se pode ficar de braços cruzados diante deste grave problema mundial, que exige cada vez mais ações sustentáveis, vontade política e engajamento da sociedade civil em conjunto com todos os atores relevantes para fazer acontecer transformações positivas ne contexto.  

Estocolmo 2020 marca um novo passo nesta jornada ambiciosa e emergencial para mitigar o número de acidentes e fatalidades no trânsito no mundo inteiro. Uma jornada que  reforça a visão do Grupo Volvo de continuar elevando a mentalidade geral de segurança entre empresas, organizações e sociedade.

 

Alexandre Parker

Diretor de Responsabilidade Corporativa e Institucional

Grupo Volvo América Latina


Jovens profissionais da Volvo vão representar o Brasil na Conferência Mundial de Segurança, na Suécia

Arthur Larocca e João Muller, funcionários do Grupo Volvo do Brasil, estarão representando os jovens brasileiros na Assembleia Mundial da Juventude que antecede a  Conferência Mundial de Segurança Viária, iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) dias 19 e 20 de fevereiro, em Estocolmo, na Suécia.  

Juntamente com mais três colegas da Índia e da China, eles foram selecionados no concurso global do Grupo Volvo, em parceria com a YOURS - Youth Organization for Road Safety - para representar a Volvo no maior evento mundial de segurança e compor uma comitiva de 200 jovens profissionais de  todo o mundo e de todos os setores comprometidos com o combate a acidentes de trânsito.

 “Sabendo que a violência no trânsito é  uma das maiores causas de mortes de jovens no mundo, a Volvo - que é líder mundial em segurança – está apoiando a iniciativa justamente para  engajar as novas gerações nas discussões e ações a serem implementadas para mitigar esse problema ao redor do mundo”, pondera Carlos Ogliari, Vice-Presidente de RH & Assuntos Corporativos do Grupo Volvo América Latina.

No Brasil,  estima-se que cerca de 30% das mortes em acidentes são de jovens entre 18 e 25 anos.  Como embaixadores da Volvo, Arthur e João terão a responsabilidade de se aprofundar  no universo da segurança no trânsito mundial, conhecer novas realidades, compartilhar experiências e  trazer ideias e práticas para inspirar o Brasil nesta causa urgente.

Participaram do processo 128 candidatos de todas as unidades do Grupo Volvo no mundo, que passaram por um processo seletivo com foco em interesse, engajamento e disposição para fazer a diferença nesta causa.

Para o Arthur Larocca, 29 anos,  Engenheiro Mecânico da área de desenvolvimento de produtos da fábrica da Volvo, em Curitiba,  a oportunidade veio ao encontro da sua pesquisa no programa de Mestrado da UTFPr – Universidade Tecnológica Federal do Paraná - sobre o desenvolvimento integrado de produtos, com foco em conforto e saúde dos motoristas e passageiro. “ É um misto de felicidade e responsabilidade”, declara. “Mas estou confiante de que será uma oportunidade valiosa tanto do ponto de vista profissional, como pessoal”, acrescenta. “O mais importante será participar desta grande rede colaborativa e trazer ideias práticas para o  Brasil”, orgulha-se.

João Muller, também com 29 anos, formado em Administração de Empresas e monitor do Memorial da Segurança no Transporte, em Curitiba, também está entusiasmado com a possibilidade de conhecer outras realidades. “Vamos nos juntar a 200 jovens de 50 países para aprender e compartilhar experiências”, pondera. “Acredito que, apesar das diferenças culturais,  o problema do alto envolvimento de jovens em acidentes passa por educação”, avalia. “ Vejo no dia a dia do meu trabalho a importância da conscientização sobre atitudes de segurança e respeito no trânsito”, complementa.  “Acredito que se investirmos mais em educação, teremos novas gerações muito mais conscientes do seu papel e das suas atitudes como motorista ou pedestre”, conclui.

Para quem quiser acompanhar o encontro dos 200 jovens no world youth assembly, pode seguir @wyaroadsafety no Instagram. 


Consciência , atitude e respeito

 “Meu propósito tem sido ajudar as pessoas a compreenderem que, mesmo sendo bons motoristas, todos nós corremos o risco de nos envolvermos em acidentes de trânsito”.

Carl-Johan Almqvist

 

Ele tem segurança em seu DNA  e acompanhou o desenvolvimento de grande parte das soluções de tecnologia  presentes nas  últimas gerações de caminhões da marca.  Termina um ciclo na Volvo,  mas continuará com seu propósito em defesa da       educação e respeito para um trânsito mais justo e humano.  Em entrevista ele comenta os desafios da sociedade e deixa uma reflexão aos brasileiros.

 

PVST: Em 2020  termina a década mundial de segurança no Trânsito, idealizada pela ONU. Qual a sua análise? Tivemos mudanças? 

Carl-Johan: A iniciativa é ótima, mas ainda temos um longo caminho pela frente. Precisamos fazer com que as pessoas entendam que elas fazem parte do ambiente do trânsito e que, todos juntos, somos responsáveis pelo resultado dessa grande empreitada. Estamos percebendo muito individualismo, as pessoas pensando somente nelas mesmas, este não é o caminho certo. É preciso humanizar o trânsito.

 

PVST: Como você analisa o cenário de segurança nas estradas? Em que o mundo evoluiu? Aonde não teve avanço?

Carl-Johan: Isto varia muito de país para país e mesmo entre continentes.  Carros estão sendo equipados com muitos aparelhos de segurança, porém, ao mesmo tempo, alguns passam a depender exclusivamente dos sistemas em seus carros, deixando o bom senso de lado e, sendo assim, estamos vendo mais acidentes com carros mais novos.

PVST: Você que acompanha o investimento e desenvolvimento  de soluções em segurança da Volvo, qual delas você acha que teve maior relevância para proteger e salvar vidas? 

Carl-Johan: O cinto de segurança é o número um, sem dúvidas, mas temos muitas técnicas adicionais sendo implementadas, como o Volvo Dynamic Steering, uma tecnologia fantástica para proporcionar uma perfeita estabilidade dos veículos. 

 

PVST: O Comitê de Investigação de Acidentes, é  uma  das maiores contribuições que a Volvo tem dado à pesquisa e formação de  banco de dados sobre acidentes. Quais resultados a investigação de acidentes trouxe ao desenvolvimento de soluções seguras?

Carl-Johan: Os estudos para entender como e porquê os acidentes ocorrem são a base para o desenvolvimento de novas soluções de segurança. Com este conhecimento, tem sido possível focar nos acidentes que são mais comuns em busca de soluções rápidas e eficientes. O trabalho da equipe é  fundamental para o desenvolvimento da maioria das soluções de segurança presentes nas últimas gerações de caminhões Volvo.

 

PVST:  Você tem sido a imagem pública da segurança da Volvo. Qual tem sido o aprendizado ao conscientizar as pessoas?

Carl-Johan: Influenciar o comportamento das pessoas no trânsito é gratificante. Meu propósito é  ajudar as pessoas a compreenderem que, mesmo sendo bons motoristas, todos nós corremos o risco de nos envolvermos em acidentes. Também acho importante chamar a atenção para os usuários vulneráveis das vias, que são as crianças e os pedestres. 

 

PVST: A Volvo foi inovadora no desenvolvimento de sistemas de segurança passiva e ativa. Qual o desafio agora? O que vem pela frente?

Carl-Johan: A segurança passiva ainda é muito importante porque, mesmo que você tenha sistemas de segurança ativa, em qualquer eventualidade, estará  protegido por sistemas de segurança passiva. Estamos falando do cinto de segurança, air bags, etc. A segurança ativa certamente continuará se desenvolvendo à medida que sensores e computadores se tornarem mais potentes. 

 

PVST: A automação dos veículos vai ajudar na redução de acidentes? 

Carl- Johan:  Inicialmente, o foco tem sido as áreas confinadas. Em seguida, no futuro, passará para rodovias com  normas rígidas. A automação requer um ambiente em que todos seguem as regras. Sabemos que nós, seres humanos, podemos nos adaptar com facilidade a variações em diferentes cenários e tomar decisões muito rapidamente desde que estejamos alertas e focados. As regras de trânsito podem ser diferentes dependendo de onde você estiver. Este é, naturalmente, um dos desafios para os veículos de autônomos.

 

PVST: Você já esteve no Brasil e conhece o drama do trânsito brasileiro. Qual sua recomendação para países, como o Brasil, com urgência de mudança?

Carl-Johan: Percebo que o brasileiro ainda não se deu conta da importância da atitude de cada um. Eles precisam entender  que juntos  fazemos parte do ambiente de trânsito. Se conscientizar de que a nossa família pode ser a próxima a se envolver num acidente. Daí a importância de estarmos todos juntos!

 

PVST: Uso do celular é hoje uma das grandes causas de acidentes também no Brasil. Qual sua mensagem para quem ainda não se conscientizou da gravidade?

Carl-Johan: Mais uma vez é preciso conscientizar os motoristas sobre o perigo de usar o celular enquanto dirigem. Será que eles sabem que  falar ao telefone aumenta 06 vezes o risco de se envolver num acidente e digitar este risco vai par 23 vezes?

 

PVST: Educação ou punição? Qual sua opinião para melhorar o comportamento das pessoas no trânsito?

Carl-Johan: Esta é uma pergunta capciosa, mas o melhor caminho é informar a todos que têm um papel importante a desempenhar no trânsito. Punir não é a melhor maneira de fazer isso, já que as pessoas têm reações diferentes a punições. E também que tipo de punição! O monetário não atinge alguns, mas pode ser um desastre para outros.

 

PVST: Qual o seu maior legado em prol da segurança?

Carl-Johan: Penso que é  adicionar  mais sentimento ao conscientizar sobre o nosso modo de ser no ambiente de tráfego. Acredito  na cooperação e na ajuda mútua ao invés de tornar o ambiente mais  perigoso. Na importância do respeito e de se importar uns com os outros. Essa tem sido a minha defesa para um trânsito melhor.

 

PVST: Você está encerrando um ciclo na Volvo, qual a sua próxima contribuição para um mundo mais seguro?  

Carl-Johan: Como a segurança é tão importante para mim, continuarei a defender a       educação e o respeito ao compartilharmos as ruas  e as estradas. Também  continuarei como membro do Conselho de Educação de Trânsito em Gotemburgo.