Qualquer empresa ou organização com operação de transporte em suas atividades, pode obter a nova certificação, garantindo aumento de eficiência,  redução de acidentes e perdas, ou até conseguindo benefícios em redução de custos com seguros.

Publicada em outubro de 2012 pela Organização Internacional de Normalização (ISO), a ISO 39001, uma ferramenta que auxilia as organizações na gestão da segurança. Compatível com outras normas ISO, permite sua integração com outros sistemas de gestão e processos que a organização já implementou, como a ISO 9001, por exemplo.

O Portal PVST ouviu o consultor Paulo Gottlieb, Sócio-Diretor da  TRS Engenharia, especializada em soluções de segurança viária.

Paulo Gottlieb, Sócio-Diretor da TRS Engenharia , especializada em soluções de segurança viária.
Paulo Gottlieb – Seminário Volvo Zero Acidentes (2014)

Portal PVST: A 39001 pode ser considerada “a ISO do Transportador”?

Paulo Gottlieb: A 39001 é mais adequada a transportadoras do que a própria ISO 9001, considerada “a mãe das ISOs”, pois enquanto a 9001 é focada essencialmente em qualidade, a 39001 é voltada especificamente para a redução de acidentes, mortes e feridos. Assim, o transportador terá segurança mas sem abrir mão da qualidade.

Portal PVST: Já existem empresas certificadas com esta nova ISO?

Paulo Gottlieb:  Mundialmente sim. Mas como a norma é relativamente nova, não há muitas empresas certificadas em todo o mundo desde sua publicação em 2012, o que torna difícil avaliar os resultados práticos de sua implementação. Mas o potencial é grande, começando com benefícios em seguradoras e gestoras de risco para as empresas que as adotam.

Portal PVST: Empresas que já possuem outras certificações podem adotar a 39001?

Paulo Gottlieb: Como as demais, a “ISO do transporte” permite sua implementação em partes da empresa, como determinados processos ou setores. Assim, a tendência será a convivência com as diversas ‘ISOs’ nas empresas, uma para qualidade, uma para meio ambiente, outra para segurança viária.

Portal PVST: Que tipo de benefícios as empresas podem ter com a ISO 39001?

Paulo Gottlieb: Uma boa gestão da segurança levaráinicialmente à própria redução dos acidentes, evitando prejuízos e até gerando benefícios financeiros. Na Inglaterra, por exemplo, a empresa FM Conway, que possui frota de 900 veículos (de todos os tipos: pequenos, médios, grandes) obteve uma economia de 56 mil libras esterlinas (mais de R$ 250.000,00) com seguros, como benefício concedido pela seguradora devido à obtenção da certificação ISO 39001. Esse valor cobriu todo o investimento feito pela empresa para obtenção da certificação, bem como o custo de manutenção da certificação pelos próximos sete anos.

Portal PVST: Quais empresas deverão adotar a ISO 39001?

Paulo Gottlieb: Em um primeiro momento, transportadores e embarcadores aparecem como principais interessados e beneficiários. Acredito que não vai demorar para que embarcadores percebam as vantagens da nova ISO 39001 e passem a recomendar ou mesmo definir como requisito de contratação para seus transportadores.

Mas as possibilidades são amplas. É importante notar que esta ISO pode ser adotada por empresas de qualquer setor, e não apenas transportadores, Uma escola ou um supermercado, em função do trânsito gerado nos seus acessos  podem adotar esta Norma. Uma empresa de serviços públicos, como telefonia, pode implantar a norma como forma de prevenir acidentes no deslocamento de seus funcionários a serviço ou mesmo no trajeto para suas casas. Empresas que não tenham uma interação direta com o trânsito, podem passar a recomendar que seus fornecedores também adotem esta ISO. Isso vai gerando um efeito em cadeia e, com o tempo, ela será uma ferramenta tão comum, em gestão empresarial, quanto as ISO 9001 e 14001.

Portal PVST: Empresas pequenas também podem adotar essa norma?

Paulo Gottlieb: Não há um limite para tamanho de empresa, que pode ser desde um transportador com um só caminhão ou com dez, até um com centenas. O custo, da mesma forma, varia conforme o tamanho da empresa a ser certificada, tanto em termos de investimentos de preparação como no custo da auditoria para certificação. Se a empresa é menor, o custo é proporcionalmente menor, variando caso a caso. Por outro lado, empresas que já tem outras certificações, certamente já estão mais preparadas para obter esta nova ISO, pois conhecem e desenvolvem práticas como rastreabilidade e indicadores de desempenho, entre outras, comuns às demais ISOs.

Portal PVST: Acredita que a ISO 39001 vai “pegar” no setor de transportes no Brasil?

Paulo Gottlieb: Não tenho dúvidas que é uma questão de tempo. O transporte brasileiro continua em processo de modernização para poder se tornar competitivo e segurança – vale dizer melhor gestão da segurança – se tornará em pouco tempo um ponto essencial na avaliação do transportador notadamente para empresas de grande porte, já sintonizadas com as tendências internacionais. A boa receptividade que tenho visto por parte dos transportadores nos seminários da Volvo justifica minha crença de que ainda este ano de 2015 teremos algumas empresas brasileiras em processo de certificação.

No Brasil ainda estamos na fase inicial, embrionária, de divulgação e informação, enquanto na Europa, onde começou, já existem empresas e organizações em processo de certificação. Até onde sabemos ainda não há nenhuma empresa certificada no Brasil, mas já há  no Chile e Argentina.

É preciso um tempo de maturação, como já aconteceu com as outras normas, a ISO 9001, da qualidade, e a 14001, do meio ambiente, mas a tendência é que esta nova ISO 39001 se torne tão apropriada ou até mesmo mais necessária que as anteriores, em se tratando de transporte.

Privacy Preference Center