30 anos | Programa Volvo de Segurança no Trânsito | Transportando Respeito volvo

No ano em que o Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) completa 30 anos, nada melhor do que reviver essa história. O PVST nasceu para mobilizar as pessoas em prol de um trânsito mais seguro e tem orgulho das contribuições realizadas. Participe conosco dessa história e junte-se a nós, rumo ao Zero Acidentes.

No seu décimo aniversário de existência no Brasil, a Volvo lançou o Programa Volvo de Segurança nas Estradas, para despertar a sociedade sobre o alto índice de violência no trânsito do país, motivando-a a discutir ações que pudessem diminuir o índice e a severidade dos acidentes no Brasil. O ano de 1986 havia sido o pior na história brasileira, registrando 27.300 mortos. O Programa Volvo de Segurança, anunciado em 15 de julho de 1987, seria, assim, o elo entre a empresa e a sociedade para encontrar formas de combater a violência no trânsito. “Em lugar de festas e comemorações, vamos contribuir para salvar vidas”, disse o presidente da Volvo na época, Mats-Ola Palm, ao anunciar o Programa.

Os objetivos do Programa foram baseados em ações de campo para responder uma pergunta básica: “O que fazer para aumentar as condições de segurança e diminuir o número e a severidade dos acidentes?”.O Programa deveria representar efetiva contribuição à sociedade pelo tempo necessário. Para ser efetivo, deveria contar com a aprovação e o apoio das autoridades governamentais, da iniciativa privada e da sociedade como um todo.

Como forma de validar o plano de ações do Programa Volvo, a empresa decidiu criar uma Câmara Técnica para funcionar como um Conselho de Administração, discutindo e aprovando os rumos do Programa. Nos dias 3 e 4 de agosto de 1987, foi realizada em Curitiba (PR) a primeira reunião da Câmara Técnica Volvo de Segurança nas Estradas, reunindo 30 representantes de governo, iniciativa privada, meios de comunicação e especialistas. A presença dos principais responsáveis pelos órgãos mais importantes do trânsito brasileiro serviu para evidenciar o acerto da iniciativa Volvo em criar e liderar uma mobilização nacional para combater a violência no trânsito. O comprometimento Volvo com a segurança e sua liderança no setor ao longo do tempo foram decisivos para o bom início do Programa. Entre as ações mais importantes do Programa estavam o Simpósio e o Prêmio Volvo de Segurança nas Estradas, lançados nessa ocasião.

O primeiro Simpósio Volvo de Segurança nas Estradas ocorreu no dia 1º de setembro de 1987, no Hilton Hotel em São Paulo, lotando o auditório de 400 lugares. A presença de interessados de mais de 10 estados era a prova concreta de que a comunidade brasileira esperava um movimento nacional como aquele. Além de palestrantes brasileiros de reconhecida capacidade, o Programa trouxe o líder do Grupo de Investigação de Acidentes da Volvo da Suécia para falar do trabalho da equipe e da segurança rodoviária na Europa.

Em dezembro de 1987, foi realizada em São Paulo a cerimônia de entrega do 1º Prêmio Volvo de Segurança nas Estradas. No total, 256 trabalhos foram inscritos nas três categorias: Interessados em Geral, Motoristas Profissionaise Jornalistas. Os vencedores receberam o troféu Volvo e uma viagem à Suécia para conhecer seu sistema de trânsito, tidocomo um dos mais seguros do mundo. Os vencedores foram: Motorista:Pedro de Oliveira, de Sapucaia do Sul (RS);Jornalista:Liana Milanez e equipedo Diário do Sul, de Porto Alegre,eGeral: Mário Fernando Petzhold, da Fundação Universitária José Bonifácio do Rio de Janeiro (RJ). Houve também premiação aos melhores trabalhos regionais.

Em junho de 1988, os vencedores nacionais do 1º Prêmio Volvo visitaram a Suécia. Estocolmo, Linköping, Borlaenge, Kalmar, Skövde e Gotemburgo foram as cidades visitadas, onde os vencedores conheceram várias entidades e institutos voltados à segurança no trânsito, bem como sentiram de perto como um sistema integrado, unindo governo, setor privado e sociedade pode conseguir resultados espetaculares na prevenção de acidentes.

O ano de 1988 foi de intensa atividade para o Programa Volvo de Segurança nas Estradas. Além do Prêmio Volvo e do Simpósio Nacional, realizado em Brasília, foram organizados quatro simpósios regionais: Porto Alegre (RS), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG) e Goiânia (GO), todos contando com boa presença de autoridades, técnicos, interessados e jornalistas. O tema segurança nas estradas ganhava força e começava a fazer parte do cotidiano da sociedade.

A segunda edição do Prêmio Volvo de Segurança nas Estradas, em 1988, reuniu 254 trabalhos inscritos, vindos de 22 estados brasileiros. Os vencedores foram: André Gonçalves Barbosa, de Cuiabá (MT), na categoria Motorista;Revista Transporte Moderno,de São Paulo (SP), na categoria Jornalista, e Rudel Trindade Jr., de Campo Grande (MS), na categoria Geral.

Em julho de 1988, o então presidente José Sarney designou o ano de 1989 como o Ano Brasileiro de Segurança no Trânsito, aceitando recomendação da Câmara Técnica Volvo. A solenidade de lançamento do Ano, no Palácio do Planalto em Brasília (DF), contou com a presença do presidente da Volvo do Brasil, Mats-Ola Palm. O Ano Brasileiro fazia parte do Programa Nacional de Segurança no Trânsito (Pronast), que contemplava uma série de ações naesfera do Contran e do Denatran, como informatização do Sistema Nacional de Trânsito nos Projetos Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) e Renach (Registro Nacional de Carteiras de Habilitação).

Uma das maiores demandas das entidades-membro da Câmara Técnica Volvo ganhou perspectiva promissora com a chegada do Renavam e do Renach, embutidos no Pronast para ajudar no gerenciamento do trânsito brasileiro. Naquele ano, estimava-se o número de veículos licenciados na ordem de 12 milhões a 16 milhões, enquanto o total de habilitações subia para algo como 20 milhões, mas eram estimativas.

No seu terceiro ano de existência, em 1989, o Prêmio Volvo incluiu mais duas categorias: Empresa e Estado do ano, como forma de mobilizar ainda mais o país pela causa do trânsito. No caso das empresas, era vital envolver a iniciativa privada na mobilização nacional, até porque recai sobre ela grande parte dos custos da violência no trânsito. Seu papel pode ser da maior importância se as empresas desenvolverem programas de segurança no trânsito e neles envolverem toda a sua cadeia produtiva (funcionários, clientes, fornecedores, etc.). Quanto aos governos estaduais, era importante atraí-los para o Programa como forma de reconhecê-los pelos esforços em prol da segurança viária.

Em 1988, o Programa conquistou o Prêmio de Opinião Pública do Conselho Regional de Relações Públicas de São Paulo, o mais importante da categoria no país. No mesmo ano, conquistou o Prêmio Eco, da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos; o Prêmio Colunistas, da Associação Brasileira de Colunistas de Propaganda e Marketing e duas menções honrosas no Prêmio Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial).

Em 1989, houve alteração no nome para Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) como forma de melhor contemplar todos os segmentos do trânsito. O troféu do prêmio foi reestilizado.O objetivo de abranger toda a sociedade brasileira continuou intacto e crescente na medida em que o Programa alcançava outras regiões do país.

O Ano Brasileiro de Segurança no Trânsito (1989) se propunha a sensibilizar a opinião pública para as grandes perdas de vidas humanas e prejuízos materiais decorrentes dos acidentes de trânsito. O número oficial de vítimas, segundo as estatísticas do Denatran, era pouco superior a 27 mil, mas técnicos do próprio governo federal admitiam que o total real deveria ser o dobro do divulgado. Assim, a comunidade de segurança no trânsito passou a usar o número de 50 mil mortos e cerca de 350 mil feridos como forma de chamar a atenção da sociedade e daí surgiu a definição de que o trânsito brasileiro matava mais do que a guerra do Vietnã, que havia terminado na década anterior, mas deixado marcas inesquecíveis. Segundo as estatísticas,cerca de 58 mil soldados norte-americanos morreram no Vietnã – razão da comparação com o nosso trânsito.

Em 1989, foram realizados simpósios regionais Volvo em Fortaleza (CE), Juiz de Fora (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Joinville (SC), além do simpósio nacional realizado em São Paulo.

Os vencedores da terceira edição do Prêmio Volvo, em 1989, foram: Antonio Carlos Fon, Revista Quatro Rodas, de São Paulo, na categoria Jornalista; COGE - Comitê de Gestão Empresarial Setor de Energia Elétrica (Sistema Eletrobrás), do Rio de Janeiro,na categoria Geral; José da Silva Almeida, de Uruguaiana (RS), na categoria Motorista; Shell Brasil, do Rio de Janeiro, na categoria Empresa, e São Paulo como o Estado.

O Ano Brasileiro da Segurança no Trânsito de 1989 foi marcado por intenso envolvimento de empresas e especialmente dos meios de comunicação que, enfim, despertaram para o tema e passaram a dar muito mais cobertura. Governos estaduais, da mesma forma, com melhor estruturação de suas ações de segurança e inscrevendo seus programas no Prêmio Volvo.

Exemplo de contribuição efetiva dada pela Seguradora Porto Seguro: ao inscrever seu case no Prêmio Volvo, a empresa mostrou seu trabalho de instalação gratuita para seus clientes da terceira luz de freio, o brake light, que reduz pela metade o número de colisões traseiras. Com base nesses números, a Prefeitura de Curitiba determinou sua instalação em todos os táxis da cidade.

Em 1990, o Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito criou mais uma categoria importante: Cidade, como forma de incentivar as administrações municipais a desenvolver programas locais e atenuar a violência no trânsito.

Foram agraciados nesse ano, Manuel Fernando Enes, do Rio de Janeiro, como Motorista; Revista Brasil Transportes, de São Paulo, na categoria Imprensa; Rosane Frerich, de Salvador, na categoria Geral; a Companhia Brasileira de Petróleo Ipiranga,como Empresa; Prefeitura de Joinville, como Cidade, e Minas Gerais,na categoria Estado.

Em 1990, o Programa Volvo de Segurança no Trânsito recebeu o prêmio mundial de relações públicas daInternational Public Relations Association (IPRA), atualmente sediada em Londres. Foi o primeiro prêmio mundial de relações públicas conquistado pelo Brasil. A cerimônia de entrega ocorreu em Toronto, Canadá, por ocasião do congresso mundial da categoria, diante de mais de mil participantes de todo o mundo.

Também em 1990, na busca de mais informações para detalhar o case da IPRA, o PVST realizou pesquisa nacional de opinião pública que revelou um dado impressionante: em razão das atividades do PVST (simpósios, debates, palestras, prêmio, newsletters, etc.) milhões de brasileiros informaram ter ouvido pela primeira vez a expressão “segurança no trânsito”. Isso dava uma ideia de como a sociedade estava distante da violência no trânsito.

De 1987 a 1990, o saldo das ações do PVST contabilizava: 20 simpósios, participação em 100 conferências nacionais e 2 congressos internacionais, 4 edições do Prêmio Volvo, 35 publicações, 3 videodocumentários. Registrava também 4 premiações importantes: Opinião Pública, do Conselho de Relações Públicas; Colunistas, da Associação Brasileira de Colunistas de Propaganda e Marketing; Eco, da Câmara Americana de Comércio para o Brasil e IPRA Golden Award, da Associação Internacional de Relações Públicas.

Durante o ano de 1990, o PVST produziu o vídeo Crianças no carro, para informar a comunidade do trânsito como transportar crianças nos automóveis, algo inédito no país na época. Só naquele ano foram distribuídas gratuitamente mais de mil cópias do vídeo, que eram mostradas em eventos, escolas, encontros de pais e mestres por todo o Brasil.

Ainda em 1990, o PVST juntou esforços com o Senai para produzir o curso de Direção defensiva para motoristas profissionais. Na oportunidade, o Senai ministrava cursos profissionalizantes,incluindo o de motoristas profissionais. O curso era composto por apostilas para o instrutor e para cada aluno, quatro vídeos, camiseta, boné, distintivo, adesivo e um certificado de participação que passou a ser bastante disputado pelos motoristas.

Em 1991, no seu quinto ano, o PVST procurou se consolidar e definir bases consistentes para a continuação dos esforços pela segurança no trânsito brasileiro. O Prêmio Mundial de Relações Públicas, concedido pela IPRA no ano anterior e entregue em junho no Canadá, foi apenas um dos pontos importantes no reconhecimento internacional do Programa. Só no ano de 1991, o PVST foi convidado para apresentar seu case no Congresso Europeu de Segurança no Trânsito, na Suécia, no Congresso Nacional de Segurança Rodoviária, em Santarém, Portugal, e no Congresso Interamericano de Relações Públicas, em Montevidéu, no Uruguai.

Ainda em 1991, no discurso de abertura da Conferência Nacional das Mulheres Líderes em Segurança no Trânsito (que reúne profissionais de todas as áreas dos Estados Unidos), o presidente da Aliança Norte-Americana para a Segurança Rodoviária, James DLugos,definiu o PVST como“um excelente modelo para qualquer país”, detalhando a forma como o Programa era implementado, os resultados e a facilidade com que podia ser copiado em qualquer outro lugar. O tema da convenção americana era O marketing da segurança no trânsito.

Um dos fatos mais importantes de 1991 foi o início de operação do Instituto Nacional de Segurança no Trânsito (INST), criado pelo esforço conjunto do PVST, Shell Brasil, Rede Globo de Televisão e Banco Itaú. Sediado em São Paulo, o INST foi dirigido pelo engenheiro Roberto Scaringella, que havia sido presidente do Contran, Denatran, CET-SP e outros órgãos de trânsito. Durante 10 anos, o INST prestou inúmeros serviços. Um dos mais marcantes foi a criação do “novo Detran” do Rio Grande do Sul, reestruturado a partir de nova sistemática que o tornou modelo para o Brasil.

Em 1991, o Programa realizou o Simpósio Nacional em São Paulo e o Simpósio Regional da Educação e Segurança em Vitória (ES).

A quinta edição do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito, em 1990, teve os seguintes vencedores: Sebastião Pires de Camargo, de Juiz de Fora, na categoria Motorista;Victor Couri, do Diário da Tarde de Belo Horizonte, na categoria Jornalista;Ten. Carmem Andreola e equipe da Polícia Militar Feminina de Porto Alegre, na categoria Geral;Pagliato Veículos, de Sorocaba (SP), na categoria Empresa;Minas Gerais, como Estado, e Prefeitura de Santos (SP), na categoria Cidade.

Em 1992, o PVST realizou o Simpósio Nacional Volvo de Segurança no Trânsito, em São Paulo, para discutir unicamente estratégias para a efetiva implantação da educação para o trânsito nas escolas; simpósios regionais foram realizados em Londrina (PR) e em Belém (PA).

Em 1992, o PVST lançou a sextaedição do Prêmio Volvo e os vencedores foram: Adão Rodrigues Fortes, de Santo ngelo (RS), na categoria Motorista;Revista Via Urbana, do Rio de Janeiro,como Jornalista; Bupec Consultores Associados, de São Paulo, na categoria Geral;Moto Honda da Amazônia, de Manaus (AM), como Empresa;Curitiba, como Cidade, e Mato Grosso do Sul, na categoria Estado.

Evidências de que a segurança no trânsito começava a ganhar corpo no cotidiano brasileiro ficaram por conta de quatro eventos de grande porte, organizados por outras instituições que se sensibilizaram com a causa e resolveram unir esforços. Um deles, em São Paulo e organizado pela Bupec Consultores, mereceu o Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito daquele ano.

Em 1993, o Programa procurou dar amplitude à sua ação realizando o Simpósio Volvo Sul-Americano de Segurança no Trânsito, em São Paulo, envolvendo a comunidade dos países vizinhos. O PVST procurava dar mais atenção a alguns grupos profissionais que poderiam alavancar o debate brasileiro sobre trânsito. Assim, foi realizado o Seminário para Jornalistas, em Curitiba, procurando mostrar abordagens da violência no trânsito que poderiam ser pautas de boas reportagens pelos meios de comunicação.

Em 1993, a sétimaedição do Prêmio Volvo teve como vencedores: Sebastião Pires de Camargo, de Juiz de Fora, na categoria Motorista;Paulo D’Amaro e Cadu Ladeira, da Revista Super Interessante (SP), na categoria Jornalista; Raquel Almqvist, na categoria Geral;Mercedes-Benz do Brasil, de São Bernardo do Campo (SP), como Empresa;Araras (SP), na categoria Cidade; Escola Pública de Trânsito do Distrito Federal, de Brasília, na categoria Escola, e Mato Grosso do Sul, na categoria Estado.

Em 1994, continuando com o plano de melhorar a qualidade da informação sobre acidentes de trânsito com segmentos da sociedade,o PVST realizouum Seminário dedicado exclusivamente para 120 magistrados de todo o país, com apoio da Associação dos Magistrados do Paraná. Parte do evento foi desenvolvida no Autódromo de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, onde um especialista em direção defensiva e perito em acidentologia mostrava ao juízes as nuances de um acidente de trânsito.

O Simpósio Nacional de Segurança no Trânsito de 1994 foi dedicado exclusivamente à educação para o trânsito. Procurando motivar o maior número de educadores, o Programa trouxe especialistas do Brasil e também dos Estados Unidos e França.

O lançamento do Telecurso 2º Grau pela Fundação Roberto Marinho, com apoio do governo do estado de Pernambuco, foi um dos pontos altos do ano. Voltado para o trânsito e transmitido por dezenas de emissoras de TV, a iniciativa foi vista como uma enorme contribuição à causa no Brasil.

A oitava edição do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito contou com mais de 322 trabalhos inscritos, vindos de 137 cidades, e os vencedores foram: Nivaldo Rodrigues da Silva, de Dracena (SP), na categoria Motorista;Carlos Dornelles, do Globo Repórter, na categoria Jornalista;Fundação Roberto Marinho (RJ), na categoria Geral;Perkons - Equipamentos Eletrônicos, de Curitiba, como Empresa;Novo Hamburgo (RS), na categoria Cidade, e Escola Municipal Cecília Meireles, de Belo Horizonte, na categoria Escola.

Em 1995, o Programa Volvo repetiu a experiência do simpósio latino-americano que havia se provado importante. Em conjunto com a prefeitura de Cuiabá, o PVST realizou simpósio regional na capital mato-grossense, como sempre atraindo grande número de interessados da região.O 9º Simpósio Nacional Volvo de Segurança no Trânsito foi outra vez dedicado à causa da educação para o trânsito, cuja necessidade de ser alavancada definitivamente permanece desde sempre.

O Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito de 1995 foi concedido aos seguintes vencedores: Jadenísio Luis Fraga, de Barra Mansa (RJ), na categoria Motorista; SOS Acidentes, de Caçapava do Sul (RS), na categoria Geral; Revista Quatro Rodas como Empresa; Campinas (SP), na categoria Cidade, e Escola Básica Rui Barbosa, de Joinville, na categoria Escola.

Em 1996, o PVST lançou a décima edição do Prêmio Volvo e os vencedores foram: José Maria de Souza, na categoria Motorista;Revista Quatro Rodas, na categoria Jornalista;Distrito Federal, na categoria Geral;Krone do Brasil, como Empresa;Prefeitura de Campinas, na categoria Cidade, e Setranspani, na categoria Escola.

O Programa foi reestruturado, mas manteve a sua filosofia principal: continuar instigando a sociedade brasileira a encontrar soluções para o grave problema dos acidentes e das mortes no trânsito. Educação para o trânsito passa a ser uma das maiores preocupações do Programa, que se propõe a desenhar novas formas de desenvolvê-la no país.

O PVST ganha nova logomarca, os simpósios passam a ser chamados de fóruns e nova experiência começa a ser testada: uma sessão de vídeos sobre segurança no trânsito na noite anterior aos Fóruns como forma de mostrar aos brasileiros como o restante do mundo desenvolve suas campanhas de trânsito.

Três linhas de ações básicas formavam a nova estrutura do Programa Volvo de Segurança no Trânsito: o Prêmio, com sete categorias; o desenvolvimento de materiais educativos de trânsito e o fórum anual, sempre com participação de especialistas no assunto, do Brasil e do exterior, precedido na noite anterior pela mostra de vídeos de segurança.

A 1ª Mostra Internacional de Filmes de Segurança no Trânsito foi realizada em Curitiba em 2000,apresentou 21 filmes premiados no Festival Internacional da França. Após cada filme, especialistas em comunicação teciam comentários sobre o conteúdo, ressaltando a essência, o modo como a mensagem era passada e em que contexto cultural ou político estava inserido. No dia seguinte, também em Curitiba, o Fórum Volvo de Segurança no Trânsito abordava o tema Educação no Trânsito: o desafio do novo milênio.

Em 2000, a 11ª edição do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito apontou como vencedores: Renê Antonio Pérsio, na categoria Motorista; Marco Aurélio Silva, na categoria Jornalista; Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, na categoria Geral; Nova Dutra, como Empresa; Prefeitura de Curitiba,na categoria Cidade, e Fundação Vale das Trombetas, na categoria Escola.

Em 2001, o PVST contratou o Instituto Bonilha, especializado em pesquisas de opinião pública, para saber a opinião dos brasileiros sobre um dos maiores problemas do trânsito no país, o motorista embriagado. Feita por telefone, em 10 capitais, o estudo mostrou que 95% dos entrevistados pediam punição pesada: 53% deles queriam retenção da CNH, 22% multas pesadas e 16% prisão.

O ano de 2001 marcou o início do Programa Transitando, projeto de educação de trânsito para escolas e alunos do ensino médio, coordenado pela pedagoga Nereide Tolentino. Inédito até então no país, adolescentes e jovens na fase pré-motoristas passaram a ter o tema abordado em várias disciplinas, na perspectiva do gerenciamento de riscos. Contando com material especialmente produzido para cada disciplina do ensino médio e contando com apoio de vídeos feitos sob medida, o Transitando foi implantado em escolas do Paraná, Minas Gerais,São Paulo e Mato Grosso, beneficiando diretamente cerca de 100 mil alunos.

A opinião do brasileiro sobre o motorista que dirigia embriagado, aliás,foi o tema do Fórum Nacional de Segurança no Trânsito, em São Paulo. Debates com intensa participação de especialistas marcaram os dois períodos do dia, sempre envolvendo os participantes, que vieram de quase duas dezenas de estados brasileiros.

Como já havia acontecido no ano anterior, na véspera do Fórum Volvo foi realizada a Mostra de Vídeo sobre campanhas de segurança no trânsito ao redor do mundo, na qual um dos tópicos mais abordados foi justamente campanhas contra beber e dirigir.

Em 2001, a 12ª edição do Prêmio Volvo apresentou os vencedores: Hélio Vasco Cardoso, na categoria Motorista;Jornal O Popular, de Goiânia, na categoria Jornalista;Cristina Aragon,da Superintendência de Engenharia Tráfego (SET), de Salvador, na categoria Geral;Shell Brasil, como Empresa;Santo André (SP), na categoria Cidade;Caio Bruno Ribeiro, de Recife (PE), na categoria Estudante, e Escola Municipal Cecília Meireles, de Juiz de Fora, na categoria Escola.

O projeto Transitando, recebe o reconhecimento internacional do Prêmio IPRA (International Public Relations Associations).

Nesse ano, o Programa ativa os Debates Técnicos de Segurança no Trânsito, com o objetivo de aprofundar discussões sobre temas específicos da área em determinadas cidades ou regiões do país. Dois debates foram realizados em 2002: em Porto Alegre, discutiu-se A influência da mídia na segurança no trânsito, com o apoio do Detran-RS, e emRecife, Como montar o programa recifense de educação de trânsito, com a participação da prefeitura da capital e da CTTU, empresa local.

Em 2002, o Fórum Volvo de Segurança no Trânsito, em Belo Horizonte,teve como tema: Educação no trânsito, chegou a hora de avançar. O professor Terry Lee Kline, do Instituto de Segurança no Trânsito da Universidade de Kentucky, dos Estados Unidos, foi o palestrante principal, trazendo sua longa experiência no setor e oferecendo sugestões de como o Brasil poderia desenvolver um bom plano nacional de educação para o trânsito.

Em 2002, o PVST lançou a 13ª edição do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito e os vencedores foram: Gevi Antonio Dilda, de Nova Prata (RS), na categoria Motorista;Pablo Toledo, da TV Bandeirantes, na categoria Jornalista; José Ricardo Mariolani e equipe da Unicamp, de Campinas, na categoria Geral;Autoban, Concessionária Sistema Anhanguera Bandeirantes, de Jundiaí (SP), como Empresa;Prefeitura de Jundiaí (SP),como Cidade;Daniela de Oliveira,da Universidade de São Carlos (SP),na categoria Estudante;Colégio Soledade, de Paulista (PE), na categoria Escola, e Deisy Buba, (funcionária da Volvo do Brasil), na categoria interna comemorativa aos 15 anos do PVST.

Em 2003, o Fórum Volvo de Segurança, em Brasília,discutiu o tamanho da violência do trânsito nas cidades brasileiras e como elas poderiam reduzir não apenas os acidentes como principalmente as fatalidades no trânsito em até 30% ao ano. A Mostra de Vídeos sobre Segurança no Trânsito, na noite anterior, lotou o auditório da Confederação Nacional da Indústria.

Em 2003, a 14ª edição do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito registrou os seguintes vencedores: Nelson Nereu Horta, de Belo Horizonte, na categoria Motorista;André Ciasca, da Revista Quatro Rodas, na categoria Jornalista;Companhia de Espetáculos da Faculdade de Artes e Comunicação da Universidade Comunitária de Passo Fundo (RS), na categoria Geral;Viação Águia Branca, de Vitória (ES), como Empresa; Blumenau (SC), na categoria Cidade; Karina Salamoni, de Porto Alegre, na categoria Estudante, e Centro Olimpus de Educação, de Barcarena (PA), na categoria Escola.

O Fórum Nacional de 2004 foi realizado em Porto Alegre, tendo como tema Álcool e trânsito - Como atenuar este grave problema brasileiro.Como palestrante principal, contou com o presidente do Instituto Belga de Segurança no Trânsito, Patric Derweduwen. Além de historiar o combate ao álcool ao volante na Bélgica, ele mostrou a união dos países da Europa Central para atenuar as consequências do problema de beber e dirigir, notadamente entre os jovens, na oportunidade em franco desenvolvimento.

Em 2004, um debate técnico dos mais interessantes foi realizado em Joinville, sobre o tema Minirrotatórias: solução eficaz e de baixo custo para a segurança do trânsito. O PVST convidou o engenheiro Sérgio Barnabé, da CET de São Paulo, para falar de suas experiências na capital paulista, onde a CET já havia implantado mais de 400 rotatórias, com excelentes resultados. Engenheiros de trânsito de Joinville e de toda a região norte de Santa Catarina participaram do evento.

Em 2004, os vencedores da 15ª edição do Prêmio Volvo foram: José Franque Ferreira Dantas, de Itabuna (BA), na categoria Motorista;Brito Júnior, TV Globo SP, na categoria Jornalista;Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, na categoria Geral;Unilever Brasil, como Empresa;Prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), na categoria Cidade;Grupo Teatral Via Certa, na categoria Estudante, e Escola Municipal Cecília Meireles, de Belo Horizonte, na categoria Escola.

Em 2005, foram realizados Debates Técnicos do Programa Volvo de Segurança no Trânsito para discutir Como melhorar o treinamento dos motoristas, com o objetivo de trabalhar o lado emocional dos profissionais do volante e buscar a redução de acidentes. Eventos foram realizados em São Paulo,Porto Alegre, Belo Horizonte,Salvador e Campo Grande,reunindo empresários do transporte de cada região com especialistas para discutir soluções para melhorar a segurança rodoviária através da melhor capacitação dos motoristas.

Em Maringá(PR), o PVST teve oportunidade de comandar um seminário regional atendendo a uma demanda da Associação Comercial e Industrial (ACIM), como da própria sociedade local. O tema foi: O papel da sociedade maringaense na redução dos acidentes de trânsito, discutindo alternativas para desenvolver ações locais voltadas à segurança no trânsito.

A partir de 2005, o Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito passou a ser conferido bianualmente. Os trabalhos concorrentes foram inscritos até o final do ano e os resultados foram anunciados em 2006.

O Fórum Volvo em 2005 aconteceu em agosto, no Rio de Janeiro, discutindo as complexidades crescentes do pedestre nos seus deslocamentos urbanos. Segurança na circulação – As interferências dos diferentes tipos de veículos foi o tema que atraiu autoridades, engenheiros, técnicos de trânsito, educadores, jornalistas e outros interessados.

Em 2005, a Volvo Trucks and Buses Argentina lançou o Prêmio Volvo de Seguridad Vial, inicialmente voltado para a imprensa, com o apoio do PVST. Única ação desse tipo já desenvolvida na Argentina, 47 veículos de comunicação inscreveram 170 reportagens e programas sobre o trânsito.

O Fórum Volvo de 2006 centrou os debates em cima do tema O que está dando certo no Brasil e no exterior. Em conferência transmitida ao vivo desde a Holanda, o engenheiro holandês Hans Mondermann detalhou uma das experiências mais promissoras do momento, denominada Espaço Compartilhado, em execução no norte da Holanda, em que uma área do centro das cidades não possuía qualquer sinalização e nem calçada. Pessoas, bicicletas, motos, carros, ônibus dividiam o mesmo espaço... e se respeitavam. O exemplo foi copiado em outros países e até hoje há resquícios da operação. Hans morreu alguns anos depois, mas deixou uma importante mensagem para o mundo, a da convivência pacífica nos mesmos espaços urbanos.

Em Salvador, um fórum regional foi organizado para atender não só a Bahia como também boa parte do Nordeste. O tema do evento de Curitiba foi utilizado na capital baiana: Espaço compartilhado: uma tendência a ser melhor explorada no Brasil?. Na verdade, Salvador já possuía uma área da cidade que poderia receber o nome de espaço compartilhado. Assim, a ideia era focar nessa experiência e numa possibilidade de ampliação.

Os vencedores do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito 2005/2006 foram: Nelson Nereu Horta, na categoria Motorista;Renata Maria Beltrão Lacerda, de Recife, na categoria Jornalista; Ilsiney Rosa Barbosa, de Dracena (SP), na categoria Geral;Unimed Curitiba, como Empresa;Salvador (BA), na categoria Cidade, e Reverson Geraldo dos Anjos Fernandes, de Brasília, na categoria Estudante Universitário.

Em 2007, ao completar 20 anos de existência, o Programa Volvo de Segurança no Trânsito marcou a data por meio de várias ações. Já no começo do ano, durante a Operação Viva o Verão no litoral paranaense, os veranistas puderam comprovar a eficácia do cinto de segurança, através de uma cabine de caminhão Volvo que simula um tombamento. Onde quer que seja feita, a demonstração chama muito a atenção do público, que consegue sentir na experiência o quanto é grande a proteção que o cinto oferece no caso de acidentes.

Em São Paulo, o Fórum de Segurança no Trânsito foi dirigido ao setor rodoviário de cargas, mostrando A segurança como investimento, reunindo mais de 200 participantes entre transportadores, imprensa e estudiosos do tema. Para o evento, o PVST trouxe dos Estados Unidos o presidente do Conselho de Administração da American Trucking Association, Ray Kuntz, e seu diretor executivo, Dave Oizieck. Com diferentes abordagens, os dois executivos procuraram enfatizar que “segurança é um bom negócio”, detalhando como o transporte rodoviário de cargas nos Estados Unidos é rentável, apesar da concorrência dos outros modais e das dificuldades conjunturais.

Os vencedores do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito de 2007 foram: Daniel César Costa, de Salvador, na categoria Motorista;Francine Lima e equipe, Revista Época, na categoria Jornalista; Eliana Carvalho Pellison, na categoria Geral;OHL São Paulo(hoje Arteris), como Empresa;Prefeitura de São José dos Campos (SP), na categoria Cidade;Cargo lift Logística e Transportes e Vix Logística, na categoria Transportadora de Cargas e/ou Passageiros.

Ainda em 2007, a OMS e a ONU coordenaram a Semana Mundial da Segurança no Trânsito e elegeram como tema Os jovens e o trânsito. Aproveitando a oportunidade, o PVST organizou três eventos para grupos de 20 jovens em Porto Alegre, São Paulo e Goiânia. Com a presença de profissionais, os jovens participaram de uma dramatização em grupo,seguida de debate e depoimentos.

Antes dos eventos, o PVST juntou esforços com o Ministério da Saúde, a Perkons e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia para realizar pesquisa nacional com mil jovens de 66 cidades brasileiras. O trabalho, realizado pelo Ibope, mostrou que, entre outros dados alarmantes, o jovem “tem consciência de que é imprudente no trânsito, mas não se considera peça importante na redução dos acidentes”. A pesquisa teve imensa repercussão pelo país afora.

A Volvo e o Sest/Senat do Paraná lançaram durante a Semana Nacional do Trânsito de 2007 um programa para contribuir com a redução do índice de acidentes envolvendo caminhões, intensificando o treinamento de condução econômica para motoristas profissionais. Um dos objetivos da Volvo foi dar suporte para as aulas teóricas e práticas dos motoristas das empresas de transporte de cargas, atendidas pela unidade Sest/Senat do Paraná.

Uma das grandes marcas do PVST em 2008 foi o lançamento do “TransFormar”, um programa de desenvolvimento comportamental de motoristas profissionais de caminhão, baseado no gerenciamento de riscos de viagem e que leva em consideração o cotidiano do condutor. A novidade foi muito aplaudida pelas empresas de transportes, que indicavam seus profissionais para o treinamento de uma semana. O treinamento, desenhado para grupos pequenos de participantes (de 10 a 15 pessoas), contava com a presença de um facilitador. Foi a primeira vez que um sistema com esse formato foi testado no Brasil. O Programa foi exportado, com sucesso, para o Peru.

Em setembro de 2008, o PVST realizou mais um de seus Fóruns Volvo de Segurança no Trânsito, em São Paulo. Trouxe de Genebra, Suíça, o secretário-geral da International Road Union (IRU), Umberto de Pretto, para abordar o tema Como a segurança pode melhorar a imagem do transporte rodoviário de cargas. O evento contou com a participação de mais de 250 pessoas do setor de transporte.

Em 2009, o PVST entrava numa nova área, o apoio cultural à produção de livros, para melhor suprir a comunidade de segurança no trânsito brasileiro. Nesse ano, foi lançado o livro 20 anos de lições de trânsito no Brasil – Desafios e conquistas do trânsito brasileiro de 1987 a 2007, de autoria do consultor do PVST J.Pedro Corrêa, viabilizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e que teve o patrocínio da Volvo. A radiografia do que aconteceu no trânsito brasileiro no período de 1987 a 2007 continua válida até hoje.

Em 2009, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Volvo patrocinou a primeira edição do Festival de Teatro Juvenil Transitando, destinado a alunos das escolas de ensino médio. Seu objetivo era conscientizar o público jovem sobre a importância da segurança no trânsito, reforçando comportamentos seguros para motoristas, pedestres, ciclistas e motociclistas por meio de apresentações culturais de teatro.

Incentivado pelo PVST, o jornal Valor Econômico organizou seminário na sede da Abrati, em Brasília, para abordar o setor de transporte de longa distância de passageiros no país. Convidado, o PVST falou sobre Segurança, um dos pilares do bom transporte de passageiros, assunto que gerou longo debate com empresários do setor presentes ao evento.

O 18º Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito, 2009-2010, apresentou os seguintes vencedores: Prefeitura de Porto Alegre,na categoria Cidade;Fundación Mapfre, de São Paulo,na categoria Empresa; Vida Urgente Espírito Santo,na categoria Geral; Grupo RPC, de Curitiba,na categoria Imprensa; Luiz Carlos André, de Santa Rita (PB), na categoria Motorista, e Araucária Transporte Coletivo, de Araucária (PR), na categoria Transportadora. Foram premiados 36 trabalhos, sendo 6 vencedores nacionais e 24 regionais, selecionados entre os 250 trabalhos inscritos.

Em 2010, o Programa TransFormar ganhou o Prêmio Interno de Segurança do Grupo Volvo (Volvo Group Internal Safety Award). Foi a primeira edição do prêmio, e o TransFormar concorreu com mais de 20 outras iniciativas do Grupo Volvo no mundo. O objetivo do Volvo Group Safety Award era reforçar a importância da segurança com o valor corporativo do Grupo Volvo e manter os esforços em preservar a posição do Grupo como líder mundial em segurança,por meio de programas e ações realizadas por seus funcionários no mundo.

A Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde,instituíram a Década mundial de ações para a segurança no trânsito para o período 2011-2020 com o objetivo de reduzir em 50% o número de mortes causadas por acidentes de trânsito. O Fórum Volvo de 2011, realizado em Brasília, teve como tema Como o Brasil pode aproveitar a Década Mundial de Ações de Trânsito, atraindo público de mais de 400 pessoas. Foi realizado em conjunto com OHL Brasil, hoje Arteris,e trouxe ao Brasil dois especialistas internacionais em segurança no trânsito: o australiano Eric Howard, consultor do Banco Mundial em segurança no trânsito e o espanhol Pere Navarro, diretor-geral da Dirección General de Tránsito, da Espanha.

Em 2012, o Grupo Mundial Volvo estabeleceu sua Visão de Segurança definindo Zero Acidentes como seu ideal de futuro. O conceito vale para todos os produtos do Grupo, assim como para todas as empresas Volvo ao redor do mundo. Desde o final do século passado, o governo sueco havia lançado sua Visão Zero, segundo a qual não seria tolerável que alguém viesse a morrer ou sofrer sequela permanente por causa de um acidente de trânsito. Essa visão ética da segurança no trânsito, inicialmente vista como uma utopia sueca, mais tarde começou a ser assimilada e hoje é copiada por inúmeros países desenvolvidos.

O Programa Volvo de Segurança no Trânsito alinhou seu foco de atuação à visão zero acidentes do Grupo Volvo, que tem como ideal de futuro zero acidentes envolvendo veículos do grupo. Em razão disso, o PVST passou a centralizar suas ações no setor de transporte comercial, especialmente de cargas e de passageiros.

Em 2013, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio da Volvo, foi lançado o livro Cultura de segurança no trânsito, de autoria de J.Pedro Corrêa, reunindo dezenas de cases que tiveram resultados efetivos para a melhoria e disseminação da cultura de segurança no trânsito no Brasil. Os cases foram selecionados a partir de trabalhos inscritos nas edições do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito desde a primeira edição. Por meio dessa iniciativa, exemplos concretos de ações inspiradoras puderam ser evidenciados com o objetivo de gerar efeito multiplicador noutros lugares.

O PVST realizou em São Paulo mais um Fórum Volvo de Segurança no Trânsito,voltado para o transporte rodoviário de cargas. Uma pesquisa inédita, encomendada pelo PVST e realizada pelo Instituto Bonilha, foi apresentada e amplamente discutida:A imagem do transporte rodoviário de cargas no Brasil. A pesquisa foi feita com a população e também com formadores de opinião em vários estados. O evento reuniu especialistas da área com o objetivo de discutir e levantar pontos que merecem atenção dos transportadores para avançar na melhoria e segurança do transporte de cargas. No final do evento, o diretor de segurança da Volvo Trucks, da Suécia, Carl-Johan Almqvist, abordou a questão do motorista profissional de caminhão como A peça-chave do futuro.

Em 2014, o PVST foi a campo instigar transportadores a abraçar a causa zero acidentes.Foram realizados Seminários Regionais em Curitiba, Itajaí (SC), Contagem (MG) e Porto Alegre. Entre os temas dos eventos estava Zero acidentes e a divulgação da Norma ISO 39001, que se ocupa da gestão da segurança no trânsito nas empresas.

A Volvo lançou em 2014 o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, meticuloso trabalho estatístico feito pelo PVST a partir da análise do banco de dados da Polícia Rodoviária Federal sobre acidentes nas rodovias federais entre 2008 e 2012. O estudo identificou pontos mais perigosos das rodovias federais brasileiras, com destaque para as quatro mais movimentadas: Presidente Dutra, Régis Bittencourt, Fernão Dias e a BR 040. O documento mostra informações detalhadas sobre o número de acidentes, de vítimas, as principais causas, as mais letais, os períodos do dia e os horários mais frequentes. O endereço na internet é: www.atlasacidentesnotransporte.com.br.

O PVST produziu e distribuiu o Manual da ISO 39001 para contribuir com a divulgação da norma internacional no país, visto que a versão brasileira em português ainda não havia sido oficialmente lançada pela ABNT (fato que ocorreu em novembro de 2015). O Manual foi disponibilizado gratuitamente a todos, por meio do Portal do PVST. Muitos participantes de diversas empresas se mostraram interessados em buscar a certificação da ISO.

Em 2015, o Programa Volvo de Segurança no Trânsito recebeu o Prêmio de Responsabilidade Social Corporativa da ABRH-PR, em razão de suas ações incentivarem a educação, a geração de ideias, promoverem debates e o reconhecimento de iniciativas que geram mais segurança no trânsito no país. Foi mais uma premiação que se soma à vasta lista que o PVST foi consolidando ao longo do tempo.

Em 2015, foram realizados Seminários Regionais Zero Acidentes nas cidades: São Paulo, Fortaleza, Salvador e Goiânia, reunindo cerca de 450 lideranças do setor de transporte de cargas. Todos os eventos mostravam palestras sobre como chegar a zero acidentes, divulgação da ISO 39001 e um amplo debate de esclarecimento com os participantes.

Em outubro deste ano, 76 funcionários voluntários da Volvo, participaram do projeto “Parar, Olhar, Acenar”, indo até escolas públicas de Curitiba (PR) para conscientizar os alunos sobre a importância do ponto cego dos veículos e os cuidados ao atravessar a rua. A ação beneficiou mais de 1.200 alunos. O “Parar, Olhar”, Acenar” é um projeto global da Volvo Trucks e já foi realizado em dezenas de países onde o Grupo Volvo tem operações. Conheça mais da iniciativa: https://www.youtube.com/watch?v=h62oyouf1po

Em 2015, o PVST veiculou ampla campanha sobre segurança no trânsito na Rádio Lúmen, de Curitiba. No total, foram 35 assuntos, cobrindo temas variados como o transporte de animais, perigo na troca de mensagens no celular enquanto dirige, entre outros. Os spots educativos foram veiculados com apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, em prol da segurança no trânsito. https://www.youtube.com/watch?v=6BNUwjKzF30.

Em 2016, o PVST lançou a segunda Edição do Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, com maior abrangência e mais informações detalhadas de todas as rodovias federais do país. O estudo foi produzido também pela Tecnométrica, com base no banco de dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) entre 2007 e 2015. Todo o conteúdo está disponibilizado no Portal do Atlas: www.atlasacidentesnotransporte.com.br

Em 2016, foi realizado o Seminário Regional Zero Acidentes, na cidade de Maringá, que culminou com a formação do Núcleo de Segurança das empresas de transporte da região, como forma de estabelecer a implementação de ações e indicadores de segurança para o setor.

Em 2016, por meio de patrocínio cultural da Volvo e Ministério da Cultura, foi inaugurado em Curitiba o Memorial da Segurança do Transporte no Brasil, único espaço dedicado ao tema na América Latina.

O Programa Volvo de Segurança no Trânsito recebeu o Global Road Achievement Awards, na categoria segurança no trânsito, da International Road Federation (IRF), sediada nos Estados Unidos. O PVST foi escolhido para o prêmio pela excelência do trabalho no Brasil e por ser um dos mais longos projetos de mobilização da sociedade em prol de um trânsito mais seguro. O IRF Global Road Achievement Awards tornou-se referência em inovação para a indústria do setor de transporte e infraestrutura, como fonte de soluções que fazem a diferença nos países onde os projetos são implementados.