Blog

26.04.2019 | Notícias

Vigilância constante em Nova Iorque!

Há cinco anos, a cidade de Nova Iorque adotou o Visão Zero Acidentes e tem alcançado resultados significativos.

Reduzir o número de mortos e feridos no trânsito é uma tarefa árdua. Exige envolvimento e união da sociedade, de diferentes setores de governo, recursos financeiros e humanos, fiscalização, mudança na infraestrutura viária, redução dos limites de velocidade, educação de trânsito e obstinação para contrariar a opinião pública, que nem sempre são favoráveis às decisões por um trânsito mais seguro.

Todos esses ingredientes combinados, no entanto, é que têm garantindo o sucesso do plano de ação do Visão Zero, implementado pela prefeitura de Nova Iorque para reduzir o número de mortos e feridos no trânsito. Desde 2014, quando adotou o Visão Zero e estabeleceu que nenhuma morte no trânsito é aceitável, a cidade vem acompanhando a queda dos números de vítimas fatais e feridos.

Em cinco anos, as mortes no trânsito caíram 34%, saindo de 294 em 2013, ano anterior ao Visão Zero, para 196 em 2018 (ver tabela abaixo). Os números são os mais baixos desde o início dos registros, em 1910.

Apesar de positivos, os resultados são vistos com cautela. “A cada ano que passa, os nova-iorquinos continuam a ver o Visão Zero salvar vidas. Mas temos que estar vigilantes. Os números ainda nos preocupam”, disse o prefeito de Bill de Blasio. “Nenhuma perda de vidas nas nossas ruas é aceitável. Desde o início do Visão Zero, dissemos que isso mudaria mentes, que mudaria comportamento, que mudaria a maneira de fazermos as coisas. As coisas estão funcionando. Temos que manter o padrão e ir muito mais longe”, declarou Blasio na cerimônia em que anunciou, em fevereiro deste ano, novas medidas do plano de ação do Visão Zero.

As novas ações anunciadas por Bill de Blasio vão concentrar esforços na redução do número de mortes de pedestres. Em 2018, 111 pedestres morreram nas ruas de Nova Iorque, o que corresponde a mais de 50% do total de vítimas fatais.

As medidas serão concentradas nas ruas, avenidas e cruzamentos com maior número de atropelamentos.  Dados do Departamento de Transportes de Nova Iorque (DOT) mostram que metade das mortes de pedestres estão concentradas em apenas 7% (682 km) das ruas da cidade.

Até o final de 2019, esses trechos críticos vão passar por intervenções como: aumento do tempo de travessia dos pedestres, aumento do espaço de circulação de pedestres, alteração os sinais de trânsito com foco na redução de velocidade, ampliação de ciclovias, instalação de fiscalização eletrônica e intensificação das ações de educação de trânsito perto de escolas e centros de idosos.

“Qualquer fatalidade, é uma indicação gritante de quanto trabalho ainda é necessário para tornar todas as nossas ruas seguras para cada motorista, ciclista e pedestre”, disse o comissário de polícia do Traffic Enforcement Agents de Nova York (NYDP),  James P. O’Neill. “O NYPD e nossos parceiros continuarão a avançar nos esforços que levaram a anos de declínio sustentado no total de mortes no trânsito da cidade de Nova York”.

Receita de sucesso

O sucesso do Plano de Ação do Visão Zero de Nova Iorque, foi a formação de uma força-tarefa entre prefeitura, diferentes órgão municipais e comunidade para estabelecimento de tarefas e iniciativas sustentadas por três pilares fundamentais:

  1. não há um número aceitável de mortos e feridos nas ruas da cidade;
  2. morte e lesões no trânsito não são acidentes, mas incidentes que podem ser evitados;
  3. a população deve adotar um comportamento seguro nas ruas e participar de uma mudança cultural.

“Muitas vezes me perguntam como Nova Iorque viu tanto sucesso. Eu falo sobre todo o trabalho que fazemos, sobre os recursos que recebemos, mas falo também que começa no topo. Começa por ter um prefeito, um líder que assume esse tipo de compromisso”, afirma a comissária Polly Trottenberg, do Departamento de Transportes de Nova Iorque (DOT).

“Quando lançamos o Visão Zero, muitas pessoas disseram que os nova-iorquinos não aceitariam o programa. Tem sido exatamente o oposto. Não estou dizendo que não houve oponentes e críticos, porque houve. Mas os cidadãos da cidade de Nova Iorque abraçaram o Visão Zero. Entendem que é uma questão de vida ou morte e muitas pessoas  me dizem obrigado. Então está funcionando. Está salvando vidas”, afirma o prefeito Blasio.

O Plano de Ação do Visão Zero estabelece uma série de medidas, que iniciaram com aumento dos recursos destinados a segurança no trânsito, ampliação equipes de fiscalização e incremento da fiscalização eletrônica. Com esses recursos financeiros, humanos e tecnológicos em mãos, foram implementadas centenas de ações com foco em mudança de comportamento e alteração de infraestrutura viária.

Comportamento: Para atuar na mudança de comportamento foram desenvolvidas ações intensivas de educação de trânsito:

  • Abordagens de motoristas, pedestres e ciclistas nas ruas,
  • Demonstrações de comportamento seguro nas ruas, portas de escola, e centros de idosos,
  • Campanhas publicitárias com personagens reais e depoimento de pessoas que perderam parentes em acidentes de trânsito,
  • Treinamento para motoristas de taxi e limousines,
  • Treinamento de motoristas de carros envolvidos em acidentes de trânsito,
  •  Reconhecimento e valorização dos motoristas profissionais com comportamento mais seguro,
  • Intensificação das blitze de trânsito para combater atitudes de risco como dirigir em excesso de velocidade, usar o celular na direção, e desobedecer a sinalização,
  • Convocação da população para participar e contribuir com o Visão Zero, conversando com a família sobre comportamento seguro no trânsito, participando de reuniões na comunidade, e solicitando ações de educação de trânsito nos bairros.

Infraestrutura: mudanças do design de ruas e avenidas para oferecer mais segurança aos pedestres e ciclistas:

  • Colocação de faixas de pedestres em locais que as pessoas queriam cruzar,
  • incremento da sinalização de trânsito,
  • designação de espaços diferenciados para ônibus, carros, ciclistas e pedestres;
  • construção de mais de 400km de ciclovias,
  • diminuição da distância nos cruzamentos de pedestres com colocação de canteiros,
  • Intervenções baseadas em dados, para identificar pontos críticos de acidentes e mortes para garantir que ferramentas como radares de velocidade, fiscalização policial e reengenharia sejam aplicadas onde salvam mais vidas.

Mortos em acidentes de trânsito em Nova York  

2013

2014

2015

2016

2017

2018

pedestres

180

138

137

146

106

111

bicicletas

12

20

14

18

24

10

motociclistas

42

37

22

19

33

39

automóveis

60

62

59

46

58

36

total

294

257

232

229

221

196

As informações completas e detalhes do “Vision Zero” de Nova York estão disponíveis na página do programa:  https://www1.nyc.gov/site/visionzero/index.page

 

NYCDOT-VZ-SIGNS-TURNING-BUSTAIL-175x50-Shahana-NEW-1024x355

 

Uma resposta para “Vigilância constante em Nova Iorque!”

  1. Fernando disse:

    Excelente.

DEIXE UM COMENTÁRIO