Blog

19.12.2019 | Notícias

Prioridade e ações integradas estão na agenda das cidades que já atingiram a meta de redução de mortes no trânsito

Prioridade aliada a ações integrada entre prefeituras, estado e governo em gestão de políticas públicas, fazem parte do plano de trabalho das cidades brasileiras que já atingiram a meta de redução de 50% das mortes no trânsito, estabelecida pela ONU – Organização das Nações Unidas. O pacto faz parte da Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020, na qual governos de todo o mundo se comprometeram a tomar novas medidas para prevenir os acidentes no trânsito, a nona causa de mortes em todo o mundo.

Às vésperas de 2020, data limite para atingimento da meta, um levantamento divulgado pela Folha de São Paulo, mostrou que em 2018, seis cidades brasileiras, se adiantaram ao objetivo: Rio Branco, Salvador, Belo Horizonte, Aracaju, Curitiba e Porto Alegre. As cidades de Distrito Federal, Recife, Fortaleza, São Paulo, Belém e Campo Grande também tiveram redução no número de mortes e devem alcançar a meta até o próximo ano. Os dados percentuais levam em consideração o índice de mortes para cada 100 mil habitantes.

Rio Branco, entre as capitais com trânsito mais seguro

Um grande exemplo desta mobilização vem de Rio Branco, capital do Acre, que reduziu em 64% o número de vítimas fatais do seu trânsito. Em 2011 a cidade registrou 18 mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes. Em 2018 o índice passou para 6.5, colocando Rio Branco como a quarta capital com trânsito mais seguro no país.

O aumento da fiscalização com uso de bafômetros foi uma das principais ferramentas da mudança. “O rigor da fiscalização deve ser perene”, avalia o professor Creso Machado Lopes, do Centro de Ciência da Saúde da Universidade Federal do Acre. “Fazer campanhas educativas e pesquisas é importante, mas sem fiscalização, a situação não melhora”, complementa.

Salvador, comparação com a Dinamarca

A capital com a segunda melhor avaliação foi Salvador. Em 2018 o trânsito na capital baiana foi 55% menos letal que em 2011. Na verdade, desde 2016, Salvador tem a menor taxa de mortes por 100 mil habitantes no trânsito no Brasil e a redução foi conseguida mesmo com aumento em 31% da frota no período. Posição que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), equivale à Dinamarca, um dos países modelo mundial em trânsito. Entre as ações que estão fazendo a diferença no trânsito em Salvador, estão a redução de velocidades máximas em grandes avenidas e a criação de áreas calmas, perímetro onde nenhuma via tem velocidade acima de 30km/h ou 40km/h. Para Fabrizzio Muller, superintendente da Transalvador, a conquista é fruto de um trabalho conjunto desenvolvido por toda gestão municipal, que passa desde a intensificação da fiscalização até o investimento em novos projetos viários.

Curitiba, aposta nas futuras gerações de motoristas

Curitiba, uma das capitais que também se antecipou à meta mundial da ONU, tem focado seu trabalho em campanhas de conscientização aliadas à fiscalização. “O Maio Amarelo é um grande aliado na conscientização para novos comportamentos e atitudes no trânsito. Vamos ampliar sua mobilização para o ano inteiro”, esclarece Marinho Guimarães, Diretor da Escola Pública de Trânsito do Detran. “Vamos continuar também investindo em parcerias públicas privadas e preparando as novas gerações de motoristas, crianças e os adolescentes. São eles que vão mudar a cultura de trânsito em nosso país”, complementa. Belo Horizonte, Aracaju e Porto Alegre também atribuem os bons resultados ao esforço para redução de acidentes e, consequentemente, de mortes, no foco em educação e ao estabelecimento de políticas públicas conjuntas. Porém, muitas cidades, além de não reduzirem, ainda viram sua taxa de mortalidade subir. Mas a boa notícia é que a grande maioria tem consciência do grave problema e estão implementando programas de educação de trânsito, entre outras medidas de segurança, que trarão benefícios no futuro.

 

Intervenções Viárias no Jardim dos Namorados, importante via da orla soteopolitana - 2017 3

Intervenções Viárias no Jardim dos Namorados, importante via da orla soteopolitana – 2017

 

Faixas elevadas foram implantadas na Av. Afrânio Peixoto, uma das principais vias de Salvador, que auxiliaram na redução drástica nos acidentes na via

Faixas elevadas foram implantadas na Av. Afrânio Peixoto, uma das principais vias de Salvador, que auxiliaram na redução drástica nos acidentes na via

 

FABRIZZIO_MULLER_TRANSALVADOR

Fabrizzio Muller – Superintendente da Transalvador

 

Detran Pr 3

Detran – PR

 

Detran Pr 2

Detran – PR

 

Detran Pr

Detran – PR

 

A Transalvador modernizou o sistema de cobrança para estacionamento Zona Azul dando maior segurnçaa e comodidade aos condutores

A Transalvador modernizou o sistema de cobrança para estacionamento Zona Azul dando maior segurança e comodidade aos condutores

 

A Transalvador iniciou em novembro a iomprlantação do projeto Trânsito Calmo no bairro da pituba, um dos mais populosos da capital baiana

A Transalvador iniciou em novembro a implantação do projeto Trânsito Calmo no bairro da Pituba, um dos mais populosos da capital baiana

 

DEIXE UM COMENTÁRIO