Blog

24.05.2019 | Notícias

Gestão dos riscos de acidentes reduz risco de roubo de cargas

Empresas que investem no planejamento e gestão da segurança viária do transporte de cargas obtêm resultados positivos na diminuição do roubo de cargas 

Os custos com acidentes de trânsito e com roubos de cargas geram altos impactos financeiros para as transportadoras.  Aumentam o custo do transporte, das apólices de seguros e geram um ciclo de aumento de preços que muitas vezes vai chegar ao consumidor final, podendo influenciar, inclusive, na elevação da inflação.

A alternativa encontrada pelas empresas de transporte para conter esse crescimento dos custos e tornar a operação mais eficiente é o investimento em tecnologias que auxiliam no planejamento da viagem e em programas de gestão de riscos. “A prática mostra que o planejamento da viagem, aliado a metas de segurança viária, além de reduzir prejuízos com acidentes de trânsito, pode evitar o roubo de cargas”, afirma Reinaldo Serafim, gerente comercial da Corretora de Seguros Volvo, braço da Volvo Financial Services.  De acordo com o executivo, é crescente o número de empresas que investem em tecnologias que auxiliam no planejamento da viagem e na gestão de riscos.

A Pesquisa CNT de Rodovias de 2018, aponta que o custo de um acidente rodoviário com feridos está na ordem de R$ 110 mil. Já em casos de mortes, dispara para R$ 780 mil. Esses números, no entanto, podem ser ainda mais altos.  Além dos custos diretos, com saúde pública, danos ao veículo e perda da carga transportada, ainda há os custos indiretos, que não costumam ser contabilizados, como atrasos na entrega da mercadoria, interrupção da via e prejuízos para a imagem da marca.

“As empresas não contabilizam perdas para a imagem da marca ou a perda de um ponto de destaque na gondola do supermercado porque o produto não foi entregue”, argumenta Fabiano Faria, diretor da Federal ST, empresa especializada na gestão e prevenção de riscos no transporte de cargas. De acordo com ele, a estimativa de mercado é que o custo com acidentes chega a ser, em média, oitos vezes mais alto que o custo com roubo de cargas. “Ainda precisamos avançar muito para termos no país uma cultura de segurança e reduzir prejuízos gerados por acidentes”, afirma.

A gestão de riscos de acidentes compreende ações como treinamento de motoristas para uma condução mais segura e preventiva, manutenções periódicas do veículo, planejamento de rotas e paradas para descanso e abastecimento, rastreamento e monitoramento do veículo e da carga e, em casos extremos, escolta do veículo. “São medidas que impactam diretamente na segurança da carga, pois evitam paradas não planejadas por problemas no veículo e acidentes que podem deixar o motorista, o caminhão e a carga expostos a riscos”, explica Serafim.

O uso da tecnologia para evitar acidentes e roubos, no entanto, só é efetivo com a conscientização e engajamento do motorista.  A Manlog Transportes, especializada no transporte de alimentos secos e refrigerados, investe em tecnologias de segurança e rastreamento, como telemetria e detector de fadiga, e faz um intenso trabalho de engajamento dos motoristas para prevenção de riscos de acidentes e roubo de cargas.  “Sabemos que o comportamento é o responsável pela grande maioria dos acidentes. Então, estamos trabalhando muito na conscientização do motorista com foco na prevenção”, conta Aparecida Keila Silva, responsável pela área de qualidade e processos de segurança da Manlog Transportes.

Os motoristas da empresa têm metas relacionadas às manutenções periódicas dos caminhões, para que não percam prazos, e são incentivados a ajudar a traçar rotas de transporte mais seguras, enviando informações e fotos sobre os pontos de parada e descanso, por exemplo. “Trabalhamos a percepção de risco em todos os aspectos. Incentivamos o olhar crítico e a avaliação de todos os riscos envolvidos na viagem e das condições dos locais de parada, para saber se são os mais adequados” explica Keila.

Outra empresa que investe em tecnologias de rastreabilidade com foco em segurança e trabalha na conscientização do motorista é a EBTLOG Transportes, especializada no transporte de equipamentos de cozinha industrial.  A carga da empresa é menos visada para roubo, mas não está livre de saques por paradas não planejadas ou acidentes.

“Só trabalhamos com prazos que nos permitam respeitar os períodos de descanso dos motoristas, e conversamos muito com eles nos dia-a-dia, sobre a importância de respeitar as regras, a legislação de trânsito e de adotar um comportamento seguro na direção. A segurança da carga é uma consequência. O mais importante é proteger a própria vida deles”, explica Alfredo Moreira, sócio diretor da EBTLOG Transportes.

Segurança Volvo

A Volvo é uma empresa que tem segurança em seu DNA. Os caminhões são equipados com avançadas tecnologias que dão a eles o reconhecimento de serem os mais seguros do mercado.  Além disso, a empresa oferece serviços de telemetria, gestão de consumo de combustível e treinamento de motoristas que garantem mais eficiência e segurança a operação, bem como seguros para veículos e cargas que contribuem com a tranquilidade do transportador por meio da Volvo Corretora de Seguros.

26211554076_e8c40caf49_h 26171109031_9346f175fd_h

 

A Voz do Motorista

“Para garantir a segurança na estrada é necessário realizar a manutenção adequada do veículo, ter freios e pneus em bom estado e, principalmente, respeitar a jornada de trabalho e os limites de velocidade. Manter a distância adequada do veículo da frente nos permite conduzir e frear com segurança. E vale ainda lembrar que o grande cuida do pequeno. Nós, motoristas de caminhão, temos a responsabilidade de cuidar dos carros, dos ciclistas e dos pedestres”, afirma Jackson Pereira, motorista da Manlog Transportes.

WhatsApp Image 2019-05-28 at 20.09.35

 

DEIXE UM COMENTÁRIO