Blog

29.11.2019 | Notícias

Celular e direção: conscientização é o caminho

Mesmo com todas as campanhas de educação e do aumento da classificação da multa, que passou de média para gravíssima, com sete pontos no prontuário, um em cada cinco motoristas brasileiros admite usar o celular enquanto dirige. E o número de infrações registradas também não para de crescer. Foi registrado um aumento de 24% em 2019 em relação ao período de janeiro a março de 2018. O levantamento feito pelo Ministério da Saúde ouviu mais de 52 mil pessoas.

Esses dados fazem sentido. Uma das cenas mais comuns no trânsito é ver motoristas utilizando os celulares com a maior naturalidade enquanto dirigem seus veículos. Ignora-se que, além de ilegal, o ato é extremamente perigoso. Já foi amplamente divulgado que o uso do celular enquanto dirige é, atualmente, a terceira maior causa de mortes no trânsito no País. Pior, o uso atual dos smartphones já não está restrito a fazer ou receber ligações. Muitos motoristas são flagrados navegando pelas redes sociais ou respondendo a mensagens enquanto dirigem.

Um estudo realizado pelo Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) revelou que alguns motoristas chegam a ficar entre 4 e 5 segundos sem prestar atenção na via enquanto manuseiam o celular. Isso equivale, segundo o estudo, a percorrer uma distância de 12 carros enfileirados com os olhos completamente fechados — se o condutor estiver trafegando a uma velocidade de 80 km/h. Responder a uma mensagem é ainda mais perigoso. Estima-se que o tempo gasto para tal pode variar entre 12 e 23 segundos, o que equivaleria a percorrer uma distância de um campo de futebol com os olhos vendados ou fechados.

Fiscalização e conscientização

Se o uso do celular no trânsito aumenta em cerca de 400% as chances de um motorista se envolver em acidentes nas cidades, muito mais grave em estradas. Educação e conscientização tem sido o antídoto das empresas de transportes para garantir que os motoristas das suas frotas entendam os riscos e fiquem longe do celular enquanto estão na direção. A Efitrans, de Curitiba é um exemplo de transportadora que se utiliza de uma comunicação muito clara com os motoristas para que se conscientizem sobre os riscos. “ Estamos constantemente educando e monitorando. É o único caminho para conscientizar e proteger vidas”, enfatiza Pedro Thiago Taborda Farias, Coordenador de SST – Saúde e Segurança do Trabalho.

A IC Transportes, em Sumaré, estado de São Paulo, que tem segurança como uma máxima na sua operação, não só admite que os motoristas usem o celular enquanto dirigem, como também não aceita que nenhum profissional da empresa entre em contato com os motoristas quando o veículo está em movimento. “Temos tecnologia e recursos no caminhão para monitorar e nos informar quando a chave do veículo está desligada”, comenta Geisa Trevizan, supervisora de Planejamento Estratégico na empresa. Com uma frota de 1000 veículos, a IC Transportes investe forte em conscientização sobre os riscos e estatísticas do uso do celular na direção. “ Esse tema faz parte dos nossos valores e somos incansáveis em estimular o profissional à reflexão sobre suas atitudes”, reforça. “A família tem sido um poderoso aliado neste processo”, complementa Geisa.

Viva voz não diminui o problema

Para os especialistas, é um engano achar que o uso dos aparelhos no modo viva voz , diminui o problema da desatenção. Os estudos apontam que ao conversar ao telefone, mesmo que por viva voz, o motorista perde a noção auditiva do trânsito e desvia a atenção daquilo que está fazendo ao volante para o assunto da conversa. “Apesar de não serem proibidos pela lei, os dispositivos bluetooth e viva voz também devem ser evitados para uma direção segura”, recomenda Pedro Farias.

 

Geisa, IC TransportesPedro Efitrans

 

2 respostas para “Celular e direção: conscientização é o caminho”

  1. Fernando disse:

    Excelente matéria!

DEIXE UM COMENTÁRIO