BLOG

25.09.2014 | Notícias

25% dos caminhoneiros ainda trafegam sem o cinto de segurança

80% dos acidentes acontecem por falta de atenção ao volante, revela estudo da Arteris

CintoSegurançaVTCpressfile2

Um em cada dez motoristas ainda trafegam sem o cinto de segurança. Entre os caminhoneiros, esse número sobre para 25%, segundo levantamento elaborado pela Arteris, uma das principais companhias de concessões rodoviárias do país. As informações fazem parte do conjunto de informações da campanha de comunicação desenvolvida pela companhia durante o Mês da Segurança Arteris e acontecem simultaneamente nas 21 rodovias administradas por suas nove concessionárias.
Distração e celular

celular

Segundo os dados levantados pela Arteris, 48% dos motoristas já passaram por alguma situação de risco causada por uma distração e em 23% dos casos, o celular foi responsável pelo incidente. Estudo publicado pelo New England Journal of Medicine mostra que discar um número no celular aumenta em oito vezes o risco de acidente, enquanto procurar o telefone ao dirigir aumenta em sete vezes e mandar uma mensagem, quatro vezes.

Cinto de segurança

Outra medida simples e já conhecida pelos motoristas é o uso do cinto de segurança. O número de vítimas fatais que não usavam o cinto de segurança em acidentes rodoviários, nos primeiros seis meses de 2014, já é 28% maior que em todo o ano de 2013, nas rodovias administradas pela Vianorte.

Veja a íntegra desta notícia direto na fonte.

24.09.2014 | Notícias

Seminário de Segurança Veicular AEA

Acontece nesta quinta feira, 25, o Seminário de Segurança Veicular promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), evento no qual serão apresentadas as inovações da engenharia automotiva, com foco na segurança do motorista e demais ocupantes do veículo.

A evolução das tecnologias, o conhecimento internacional de normas e regulamentações que comprovam o desempenho de segurança, a conformidade de produção de veículos, são algumas das pautas a serem abordadas neste evento que espera receber mais de 200 pessoas.

A programação está bastante completa, com alto nível técnico. ?Mas estamos falando de uma excelente oportunidade para conhecer e checar os rumos e investimentos da indústria brasileira quando o assunto é segurança?, diz Nilton Monteiro, diretor executivo da AEA.

Veja a programação completa no site da AEA (www.aea.org.br).

Serviço

Evento – Seminário de Segurança Veicular

Data ? 25.09.2014

Hora ? das 8hs às 17h20

Local – Milenium Centro de Convenções, em São Paulo (SP).

Inscrição gratuita para imprensa: http://www.aea.org.br/sistema/PmD73BA6gC/imprensa/

22.09.2014 | Notícias

Volvo inaugura a mais avançada pista de testes do mundo

A AstaZero é como um gigantesco estúdio cinema, com quase seis quilômetros de estradas rurais e ambientes urbanos com cruzamentos, semáforos e pontos de ônibus. release22092014dbx

O Grupo Volvo inaugurou recentemente a AstaZero, a primeira pista de testes em tamanho integral para segurança automotiva ativa localizada na cidade de Borås, Suécia. Os dois milhões de metros quadrados da área de teste simulam cidades, além de autoestradas com mais de uma pista. É neste complexo que o Grupo Volvo testará e desenvolverá as futuras soluções em segurança para veículos pesados.

O campo de AstaZero foi construído e desenvolvido em cooperação com o Grupo Volvo com a finalidade de testar inovações em segurança ativa em ambiente de teste e em escala real. A área lembra um gigantesco estúdio cinema, com quase seis quilômetros de estradas rurais, cruzamentos, semáforos e pontos de ônibus. Os ambientes urbanos podem ser testados em cenários autênticos, envolvendo outros veículos em situações de trânsito pesado, ciclistas e pedestres, uma autoestrada com várias pistas e uma área para testes em alta velocidade. A infraestrutura permite que os veículos se comuniquem entre si e também com o ambiente.

release22092014b

?O Grupo Volvo é líder em fornecimento de soluções de segurança para veículos pesados, e AstaZero nos dá uma vantagem ímpar no futuro do desenvolvimento de sistemas de segurança. Ao usar o equipamento sofisticado da pista, além de seus ambientes avançados de testes, nos tornaremos melhores ainda na mitigação de acidentes na vida real?, diz Peter Kronberg, diretor de segurança do Grupo Volvo. ?A cooperação entre a indústria, o setor público e a academia está ficando cada vez mais importante para a Suécia. É ao combinar nossos recursos que conseguiremos resolver os problemas atuais da sociedade?, complementa o executivo.

release22092014c

Durante a inauguração, o Grupo Volvo fez uma demonstração de como seu sistema de estabilização eletrônico ajuda a evitar que composições longas tombem ao fazer curvas em velocidade, e como a frenagem automática poderá ajudar a evitar colisões entre caminhões e carros de passageiros.

O complexo de AstaZero é propriedade da SP Technical Research Institute da Suécia e de Chalmers University of Technology. O Grupo Volvo é um dos parceiros industriais das instalações.

Quando se trata de segurança, a visão do Grupo Volvo é não ter nenhum veículo da marca envolvido em acidentes de tráfego. Os peritos em segurança do Grupo vêm estudando dados de acidentes de trânsito desde os anos 1960. As análises demonstram que muitos acidentes podem ser evitados ou mitigados antes mesmo de ocorrerem ? ao usar os sistemas de segurança ativos.

Os sistemas de segurança ativos evitam acidentes ao dar suporte para o motorista, por exemplo, ao fornecer informação ou reagir antes que o condutor o faça. Exemplos de sistemas ativos de segurança desenvolvidos pelo Grupo Volvo incluem sistemas de aviso de colisão com freio de emergência e suporte para troca de pista.

Veja esta notícia publicada na imprensa.

 

17.09.2014 | Notícias

Exames toxicológicos para CNH, obrigatórios a partir de março de 2015

Resolução 460 entrou em vigor em setembro mas exames só serão obrigatórios em março de 2015

566x228_Alcolock

Com a entrada em vigor da resolução 460, que torna obrigatório os exames toxicológicos de larga janela, o tema vem ganhando destaque na imprensa. Prevista para vigorar a partir de janeiro, após prorrogada, a resolução entrou em vigor em 1º de setembro, mas a obrigatoriedade dos exames só acontecerá 180 dias após a sua vigência, ou seja, a partir de março de 2015. Saiba mais sobre esta notícia.

O objetivo da resolução é combater o uso de bebidas e drogas por motoristas profissionais (os exames são obrigatórios para as categorias C, D e E, da CNH), uma prática cada vez mais comum nas rodovias do país.

O excesso de jornada de trabalho é apontado como uma das causas do uso de estimulantes e outras drogas. Algumas reportagens apontam para o envolvimento crescente dos caminhoneiros no tráfico de drogas. A polícia rodoviária já apreende mais drogas do que a polícia federal, segundo levantamentos recentes.

Apesar de questionados por alguns, os exames toxicológicos já são obrigatórios para ingresso em diversas profissões, sendo exigido por entidades e empresas como companhias aéreas, petroleiras, instituições de segurança e empresas de diversos setores.

O controle do uso de álcool e drogas em função dos elevados índices de acidentes já é praticado em diversos países, na obtenção ou na renovação das carteiras de habilitação de motoristas. Veja mais sobre este assunto neste link.

 

16.09.2014 | Notícias

13% dos caminhoneiros usam rebites, aponta pesquisa

Pesquisa realizada pela concessionária de rodovias Arteris aponta que 13% dos motoristas de caminhão usam drogas à base de anfetaminas para enfrentar jornadas de trabalho na estrada. Um de cada quatro caminhoneiros não usa cinto de segurança, e 24% já sofreram acidentes, segundo a pesquisa.

O levantamento mostra que 12% dos motoristas estão na faixa mais alta na Escala de Sonolência de Epworth, o que indica risco 70% maior de sofrer acidente nas estradas. Também foram identificados problemas de saúde como sobrepeso, hipertensão e propensão à diabetes. O acesso dos caminhoneiros a consultas médicas é mais difícil por passarem a maior parte do tempo nas estradas.

Leia esta notícia na integra direto na fonte.