Blog

01.09.2017 | Notícias

25 anos de lombada eletrônica a favor do trânsito

A lombada eletrônica está completando 25 anos. Uma invenção da empresa paranaense Perkons, especializada em tecnologia para segurança e gestão integrada de tráfego. Apenas em 2016 a empresa  ultrapassou a casa dos quatro bilhões e meio de veículos monitorados em todo o País e no exterior. E, o mais importante, estudos como o do Ibmec(RJ) – Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais apontam que, a cada equipamento de fiscalização eletrônica instalado, são evitados cerca de três óbitos e 34 acidentes por ano. Por essa base, estima-se que até 2016, as atividades da Perkons pouparam cerca de 70 mil vidas. Atualmente, são 494 lombadas eletrônicas instaladas em 13 estados País, além delasterem atravessado fronteiras e chegado ao Peru, Colômbia e Equador. Uma contribuição expressiva para diminuir o número e severidade dos acidentes, tornando o trânsito mais seguro para motoristas e pedestres. Confira a entrevista com o diretor e especialista em trânsito da Perkons, Luiz Gustavo Campos.

Lombadas eletrônicas pouparam 70 mil vidas em 25 anos_1

 A invenção da lombada eletrônica, em 1992, chegou antes do “novo” Código de Trânsito, ela pode ser considerada um alicerce para ele e uma aliada para o seu  fortalecimento na época?

Era uma época em que algo precisava ser feito realmente para melhorar o trânsito brasileiro. A nossa intenção, no início era simplesmenteestimular a redução da velocidade por meio de uma alternativa menos abrupta do que a lombada física. No entanto, a lombada eletrônica acabou extrapolando essa função inicial e os resultados a favor do trânsito começaram a aparecer de forma significativa. Isso também ocorreu em função da Portaria 115/98 do Inmetro, que diz respeito à aferição do equipamento. Ou seja, as regras foram definidas e o equipamento foi aceito para o cumprimento da legislação. Tudo isso aliado à tecnologia oferecida pelo dispositivo propiciou os bons resultados.

De que modo a lombada eletrônica impactou a história da segurança no trânsito do país? Quais os principais resultados nesses 25 anos?

Além dos estudos, como o do Ibmec (RJ), que estimam que, até 2016, foram poupadas cerca de 70 mil vidas no Brasil apenas com os equipamentos da Perkons, sabemos que os casos que não viraram acidente também colaboram para que os leitos dos hospitais não sejam ainda mais ocupados por pessoas que passaram por algum tipo de acidente de trânsito. Atualmente 60% dos leitos dos hospitais são ocupados por esses casos. O quenos motiva é saber que esses equipamentos também fazem os motoristas lembrarem de tirar ‘o pé do acelerador”. O excesso de velocidade é a causa de uma em cada três mortes por acidentes de trânsito em todo mundo. Uma pesquisa do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento atrela a fiscalização eletrônica à redução de 60% de óbitos e 30% de acidentes de trânsito.  Estamos colaborando significativamente para salvar vidas e evitar acidentes.

Quais parcerias, incentivos ou reconhecimento fizeram – e fazem -  a diferença para o sucesso da lombada eletrônica?

Em Curitiba, onde foi instalada e ainda funciona a primeira lombada eletrônica, a primeira parceria importante foi com o IPPUC-Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba.  Mas, o Inmetro, como citado, foi fundamental também. Em termos de reconhecimento, podemos citar o próprio Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito, conquistado por duas vezes, e a indicação consecutiva, nos últimos dois anos, como uma das Campeãs de Inovação do Sul do Brasil. Além disso, a lombada eletrônica também está entre as inovações destacadas no livro 101 Inovações Brasileiras, lançado em dezembro de 2008, pelo Monitor Group, empresa global de serviços de assessoria de gestão, em parceria com a revista Exame. E um dos recentes triunfos da corporação foi a participação na Intertraffic 2016, no México, maior feira do mundo nos segmentos trânsito e mobilidade. Estaremos presentestambém nas edições de 2017, novamente no México – demonstrando a importância do mercado latino para o setor -, e 2018, em Amsterdam.

 Como a lombada eletrônica é percebida atualmente, pela sociedade e pela imprensa, em termos de melhoria do sistema de segurança e na promoção do comportamento seguro no trânsito?

Além de todos os ganhos já apontados, podemos ainda acrescentar que os equipamentos de fiscalização eletrônica instalados pela Perkons – o que inclui a lombada eletrônica- registram um índice de respeito à velocidade de 99,93%. Para quem passa eventualmente por uma lombada desse tipo e é multado, pode até haver um descontentamento. Mas, para quem mora ou circula no entorno de onde há uma lombada eletrônica, o reconhecimento aparece de diferentes formas. Já vimos casos onde há manifestações de protesto quando se tentou desativar uma dessas lombadas, por exemplo. E tambémháa reivindicação para a colocação em outros trechos. A imprensa também colabora imensamente com a divulgação desses dados.Também é notório que estamos colaborando com a Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito (2011 a 2020), da OMS – Organização Mundial da Saúde.

A lombada eletrônica já está no Peru, Equador e Colômbia. Há, ainda hoje, outros países interessados em implantar a lombada eletrônica? Elas serviram de inspiração para outros dispositivos similares ao redor do mundo?  

Além da exportação para os países da América do Sul, já tivemos interesse da África e do Oriente Médio, por exemplo. Mas nunca saberemos pelo mundo afora o que foi ou não inspirado em nosso modelo autenticamente curitibano. De qualquer forma, estamos sempre atentos a novas oportunidades de negócios e contribuição para a melhoria do trânsito onde quer que seja.

Qual o futuro da lombada eletrônica? Há mais para evoluir?

Desde o início, a ferramenta é utilizada para garantir que os veículos trafeguem dentro do limite de velocidade regulamentado para o trecho da via onde está instalado e, ao longo desses anos, incorporou novos recursos para melhoria da qualidade da imagem e precisão. O display hoje conta com iluminação de LED. A câmera capta imagens de qualidade e coloridas.  O dispositivo possui vários modelos e o design foi alterado para melhorar a visibilidade dos usuários da via. Houve também a integração de outras funcionalidades. As lombadas podem capturar vários tipos de infração como ultrapassagem em local proibido, transitar com veículo em situação irregular e em horário e local não permitido (rodízio e restrição de caminhões) e contramão de direção. Ou seja, a evolução da lombada eletrônica é constante, vai se adaptando e, até mesmo, s antecipando a necessidades. Logo teremos carros autônomos, por exemplo, e será preciso ver como se dará a fiscalização. Ou seja, estamos atentos ao trânsito e à mobilidade urbana com o espírito inovador de sempre.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO