Blog

07.12.2016 | Notícias

A noite cai, os cuidados aumentam

Olhos ofuscados pela luz de outros veículos, cansaço, sono, monotonia, iluminação fraca, estradas precárias e animais na pista. São tantos os fatores que aumentam os perigos da direção à noite, que fica até difícil elencar todos.

Mas o fato é que dirigir à noite exige ainda mais preparo, atenção e prudência ao volante do que durante o dia.

O instrutor Oséias das Neves, da área de Desenvolvimento de Competências da Volvo do Brasil, começa lembrando que o plano de viagem é ainda mais importante para quem pega a estrada à noite. “Se o motorista calcular a sua rota e os horários previstos em que passará em cada trecho, fica mais fácil definir os locais que deverá tomar mais cuidado, como os trechos de incidência de cerração ou muitas curvas e até serras, e onde será mais seguro parar para descansar, por exemplo. Ainda mais se não conhecer as estradas por onde passará. Na hora em que estiver fazendo o planejamento, terá tempo para buscar informações sobre a viagem, seja em sites, jornais, na empresa ou com colegas. Só isso já lhe dará mais segurança, baixando a ansiedade”.

Plano de viagem feito, é hora de checar itens que serão fundamentais na escuridão da estrada. “Faça uma limpeza geral no veículo, incluindo todos os vidros, como o pára-brisas e as janelas, e todos os espelhos. Limpe também todos os faróis e aproveite para checar as lâmpadas de cada um. Aliás, eles devem estar sempre bem alinhados. Aproveite para ajustar os espelhos retrovisores e, até mesmo, checar os seus óculos de grau, se for o caso”, destaca Oséias. À noite existe um ofuscamento natural dos olhos. Imagine, então, se o motorista já sair enxergando mal, por conta de algum problema oftalmológico.

“Outro comportamento seguro à noite é reduzir a velocidade e respeitar a distância recomendada do veículo da frente que, normalmente é equivalente ao tamanho do veículo que se está dirigindo”, lembra Oséias. “Além disso, é prudente não olhar diretamente para os faróis de outros veículos. O ideal é olhar um pouco mais para baixo e para a direita ou para a esquerda, guiando-se também pelas linhas da própria pista”, completa ele.

Em viagens longas, os motoristas também acabam por cruzar várias cidades. Nesses casos, deve-se tomar muito cuidado com a velocidade, com os carros – alguns passam com o sinal fechado para se proteger de assaltos – e, ainda, com ciclistas e pedestres.

“Para finalizar, posso dizer que existem ainda muitas dicas que circulam por aí para o motorista se manter acordado como, por exemplo, beber café ou muita água, abrir o vidro para pegar ar fresco, mascar chicletes para manter o cérebro alerta. Mas nada substitui o descanso programado – indica-se meia hora a cada quatro horas de direção e 15 minutos a cada duas horas – e algumas boas horas de sono. A máquina humana é excelente, mas não é infalível. É preciso que se respeite o seu funcionamento”.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO